Pelotas supera a marca de 200 óbitos por covid-19

Do site da UFPel: Os pesquisadores do GDISPEN apresentam um resumo da situação atual da pandemia de COVID-19 na cidade de Pelotas/RS, usando como base os dados divulgados diariamente pela Prefeitura Municipal nas suas redes sociais e no site oficial.

A cidade de Pelotas registrou o primeiro caso de COVID-19 no dia 25/03/2020 e o primeiro óbito no dia 20/06/2020. Em 09/12/2020 a cidade ultrapassou a marca de 200 mortes em decorrência da COVID-19, totalizando nesta data 204 óbitos. Na mesma data um recorde de casos confirmados foi notificado, 439 infectados, totalizando 11.359 casos da doença. Na média, em dezembro (01 a 09/12), a cidade registrou 257 casos e 2,3 óbitos por dia.

A incidência é de 3.317 casos e a mortalidade é de 60 óbitos por 100.000 habitantes, com uma taxa de letalidade de 1,8%. Observa-se um aumento de aproximadamente 3,26 vezes no número de infectados informado em relação ao maior pico semanal registrado no mês de agosto (427 casos na SE 35 e 1.394 na SE 49).

Além disso, em 09/12, Pelotas possuía 7.400 pessoas recuperadas (65%) e 3.440 casos ativos (30%). Observa-se um aumento expressivo no número de casos ativos ao longo das últimas semanas.

Até a mesma data, 09/12, a Vigilância Epidemiológica, da Secretaria de Saúde (SMS), registrou 59.893 exames, além de outros 4 mil testes rápidos, aplicados por meio da pesquisa Epicovid-19 da UFPel.

Totalizando 63.893 laudos emitidos. 

Segundo notícia no site da Prefeitura, em seis dias, mais de 4 mil exames foram feitos, levando-se em conta testes rápidos, os de laboratórios privados, os do Lacen/RS, os analisados pelo Testar RS e pela Unidade de Diagnóstico Molecular COVID-19/UFPel. Atualmente, a cidade contabiliza 188 testagens para cada mil habitantes.

No último final de semana, foi divulgado um novo levantamento dos casos confirmados de infecção pela COVID-19, baseado na atividade profissional. A análise é feita pelo Observatório de Segurança Pública, considerando 9.683 pessoas infectadas até o dia 3 de dezembro, conforme dados coletados pela Vigilância Epidemiológica da SMS.

Os profissionais da área da saúde (1.318 casos, 13,61%), comerciários e atendentes do comércio (1.075 casos, 11,01%), aposentados (1.052 casos, 10,86%), além de estudantes (905 casos, 9,35%) e do lar (609 casos, 6,29%) mantêm-se no grupo com maior número de contaminados. O levantamento também mostra que 32% dos infectados têm entre 20 e 34 anos, seguidos pelas pessoas que estão na faixa etária dos 35 aos 49 anos. O maior número de casos está relacionado às mulheres, que representam 56,6% dos casos confirmados e que os homens contabilizam o índice de 43,4% de infectados.

Ainda no final de semana, foi divulgado o levantamento dos casos positivos de coronavírus nos bairros da cidade. Segundo a análise, que considerou os dados da Vigilância Epidemiológica até o dia 3 de dezembro, o Fragata permanece como a localidade mais afetada do Município, com 23,1% dos confirmados de COVID-19. Na sequência, está Três Vendas, com 21,4%, Areal, com 20,1%, Centro com 18,2% e São Gonçalo com 8,3% dos positivados.

Em novembro inúmeros leitos exclusivos COVID foram desmobilizados em Pelotas, principalmente devido a necessidade de atendimento de outras demandas reprimidas e da ausência de equipes médicas. Com o avanço do contágio, tem-se observado a lotação dos 20 leitos de UTI exclusivos COVID na cidade (10 leitos no Hospital Escola, 10 leitos na Beneficência Portuguesa, não contabilizados 10 leitos adultos de suporte ventilatório do Centro COVID). Na sexta-feira, 27/11, a Prefeitura de Pelotas publicou um decreto que determina o fim do zoneamento do sistema de saúde, ou seja, todas as instituições hospitalares estão aptas a receber e tratar pacientes suspeitos ou positivados de COVID-19, quando houver a necessidade. Em 08/12 foi anunciado pela Prefeitura Municipal a reabertura de 10 leitos de UTI a partir da próxima segunda-feira, 14/12.

Na figura a seguir tem-se a evolução da epidemia na cidade, em formato de infográfico.

No infográfico tem-se:

  • Curvas de casos acumulados, recuperados ativos e óbitos;
  • Casos e óbitos por semana epidemiológica;
  • ocupação dos leitos de UTI e enfermaria exclusivos COVID;
  • Perfil dos infectados por sexo;
  • Rt por incidência: valor atual de Rt=1,35, média móvel de 1,21;
  • Casos diários confirmados de COVID-19;
  • Percentual de isolamento social (média de 41,8% nos últimos 30 dias).

Abaixo segue o gráfico da projeção de casos até o dia 31/12 para a cidade de Pelotas. No modelo epidemiológico SIR, foi considerada uma taxa média de reprodução R0 de 1.21 e um período de infecção de 5.2 dias. Se a taxa de crescimento seguir como está, estima-se que até o dia 25/12, Pelotas tenha aproximadamente 16.000 casos confirmados e que na virada do ano, em 31/12, se tenha em torno de 18.000 contaminados por COVID-19 na cidade.

Diante do forte avanço da epidemia, em 09/12 foi publicado um decreto pela Prefeitura Municipal de Pelotas que determina fechamento do comércio em geral, de serviços e atividades não essenciais, a partir das 19h de 10/12 até as 6h de 15/12. A epidemia não acabou. Evite sair de casa sem necessidade e ao sair, use máscara de proteção e passe álcool gel nas mãos. Se proteja! Proteja a sua família!

Para mais gráficos e dados acompanhem a atualização diária para a cidade de Pelotas no site do laboratório GDISPEN (https://wp.ufpel.edu.br/fentransporte/covid-19-graficos-com-relacao-ao-rs/covid-19-pelotas/).

Este estudo tem finalidade puramente acadêmica e científica, mostrando a grande aplicabilidade da modelagem matemática em problemas reais. As discussões, opiniões, ideias e publicações geradas a partir dos resultados do modelo utilizado são de autoria dos respectivos autores, e não necessariamente representam aquelas das instituições a que estes pertencem.

Responsáveis: Daniela Buske, Glênio Aguiar Gonçalves, Régis Sperotto de Quadros

Gráficos iterativos: Gustavo Braz Kurz

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.