O pelotense que mais se infecta com o novo coronavírus

Em mais uma atualização do perfil dos infectados pelo coronavírus, a partir dos registros feitos pela Vigilância Epidemiológica, o Observatório de Segurança Pública apontou, novamente, os profissionais da saúde como grupo com maior número de infectados. Nesta semana, a segunda posição com maior índice de contaminados é ocupada por pessoas que não informaram todos os dados de identificação à epidemiologia local.

Conforme levantamento do Observatório o grupo denominado “não informados” representa hoje 10,94% do total de positivados da cidade, o que representa 1.284 pessoas. A coordenadora do Observatório de Segurança, Cìntia Aires, explica que esta categoria é composta por pessoas que positivaram mais não informam todos os dados solicitados pela Vigilância.

“Depende do dado, analisamos tudo separado, idade, profissão, endereço. Se, por exemplo, tem endereço e não tem profissão, contabilizamos o endereço e a profissão fica como não informado, então a pessoa entra para esta categoria”, afirma Aires.

As categoriais com maior incidência do vírus, segundo o Observatório de Segurança Pública, são:

  • profissionais da saúde – 1.422 casos ( 12,11%);
  • não informados – 1.284 casos (10,94%);
  • comerciários e atendentes do comércio – 1.230 casos (10,48%);
  • aposentados – 1.211 casos (10,32%);;
  • estudantes – 1.066 casos (9,08%);
  •  donas de casa – 696 casos (5,93%);
  • administrador/Empresário – 333 casos ( 2,84%);
  • profissionais do transporte – 333 casos (2,84%);
  • prestador de serviços – 321 casos (2,73%);
  •  profissionais da construção civil – 318 casos (2,71%);
  • profissionais da educação – 311 casos (2,65%);
  • desempregado – 295 casos (2,51%); 
  • profissionais da segurança – 271 casos (2,31%);
  • autônomos – 266 casos (2,27%);
  • serviços administrativos – 266 casos (2,27%); e, 
  • profissional do ramo de alimentos – 251 casos (2,14%).

Demais profissionais, como servidores públicos, domésticas, advogados, profissionais da estética, bancários, cuidadores de idosos, veterinários, profissionais do esporte e da comunicação, engenheiros/engenheiros mecânicos, profissionais rurais, dentistas, psicólogos/psiquiatras, portuários, entre outros, representam 15,87% dos casos confirmados.

Sexo e idade

O levantamento do perfil da ocupação profissional é referente ao período até 10 de dezembro, quando a cidade tinha 11.740 positivados, 56,9% eram mulheres e 43,1% homens. Desse total, 32% dos infectados estão entre os 20 e 34 anos, seguidos de 31% com idade entre 35 e 49 anos.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.