Connect with us
https://www.mvpthemes.com/zoxnews/wp-content/uploads/2017/07/zox-leader.png

Cultura & entretenimento

O CÉU DA MEIA-NOITE

Publicado

on

Dirigido, produzido e protagonizado por George Clooney para a Netflix, O Céu da Meia-Noite acompanha um solitário cientista no Ártico, que tenta impedir que uma equipe de astronautas volte para casa em meio a uma misteriosa catástrofe mundial.  

Augustine (George Clooney) é um cientista com uma doença terminal que decidiu permanecer na Terra enquanto a humanidade precisou abandonar o planeta, que se deteriorou a ponto de se tornar inabitável. Após semanas isolado, o protagonista se depara com Iris (Caoilinn Springall), uma criança que foi deixada para trás na base do Ártico. Além disso, ele descobre que a equipe de astronautas liderada pela Comandante Sully (Felicity Jones) deseja retornar, mas não consegue comunicação com a Terra, sem saber que o planeta está deserto.  

Baseado no livro “Good Morning, Midnight” de Lily Brooks-Dalton, o longa é ambientado em um futuro não muito distante e nada otimista. Com o roteiro de Mark L. Smith os núcleos são muitos bem separados para que a solidão de Augustine seja um contraponto à esperança dos tripulantes da nave. Nela, a grávida Sully, preocupada com o retorno para casa, tenta desesperadamente entrar em contato com a Terra, mas sem sucesso. Ao seu lado estão quatro colegas, o Comandante Adewole (David Oyelowo), o cientista Sanchez (Demián Bichir), o Capitão Mitchell (Kyle Chandler) e a novata Maya (Tiffany Boone).  

Em seu sétimo filme como diretor, George Clooney revisita uma temática na qual já atuou duas vezes, no remake de Solaris e em Gravidade. Ao lidar com a solidão e a mortalidade em um cenário apocalíptico, a ficção-científica é ambientada tanto na Terra como no espaço. Porém, é inevitável notar que as duas tramas não se conectam. O longa acerta em cheio no clima solitário de Augustine, que passa seus dias relembrando memórias cruciais de sua vida, e seu laço peculiar com a silenciosa Iris. Enquanto tenta contato com a nave de Sully, o núcleo dos astronautas lida com os contratempos tradicionais de histórias que se passam no espaço.  

Tecnicamente, a belíssima fotografia e os impressionantes efeitos especiais tornam o filme visualmente impecável. Uma qualidade técnica admirável que fortalece ainda mais a direção competente de Clooney, que apenas peca no uso dos flashbacks, muitos sem sentido, e que só ganham significado no último ato.  

O filme não explica exatamente o que aconteceu na Terra e nem quanto tempo se passou até seu colapso definitivo. Aliás, não deixa de ser interessante, pra não dizer assustador, o paralelo da produção com a nossa realidade atual. E, apesar de não mostrar abertamente como toda a tragédia global aconteceu, Clooney transforma seu próprio filme em um recado de que o planeta precisa seguir outro rumo.  

Isolamento e comunicação definem O Céu da Meia-Noite. Um filme poético e melancólico.

Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.

Cultura & entretenimento

O tema da vida

Publicado

on

“Não precisei ir aos livros para saber que o tema da vida é conflito e dor. Instintivamente, todas as minhas bufonadas se baseavam nisso: colocar as criaturas em dificuldades e fazê-las sair delas”.

Charles Chaplin.

Chaplin em Ombro, Armas

Continue Reading

Cultura & entretenimento

Baldwin foi informado de que arma era segura

Publicado

on

A arma com que Alec Baldwin matou Halina Hutchins, diretora do filme Hust, rodado em Santa Fé, nos EUA, foi entregue a ele por um assistente de direção.

O homem teria dito que a pistola era segura, segundo a polícia.

O diretor assistente Dave Halls não sabia que a arma tinha munição de verdade e afirmou que ela não estava carregada gritando “arma fria”, segundo o documento judicial.

PUBLICIDADE

Continue Reading

Cultura & entretenimento

Gel de garrafa térmica

Publicado

on

Estamos vivendo mesmo tempos difíceis.

Outro dia, em um vídeo do Reels, uma pessoa, no balcão de uma mercearia, tentou espremer gel higienizador da covid de uma garrafa térmica.

Enganou-se de recipiente, ardeu nas mãos.

Tem que ter resiliência de Kung Fu.

PUBLICIDADE

Clique aqui para um tour pela Escola Mario Quintana

https://marioquintana.com.br/tourvirtual/

Continue Reading

Em alta