Bibo vai representar contra Hallal, pleiteando demissões na UFPel

Em entrevista à Rádio Guaíba no começo da tarde desta segunda-feira (11), o deputado federal Bibo Nunes, do PSL/RS, disse que vai representar em três instâncias contra Pedro Hallal, ex-reitor da UFPel, por declarações a respeito do presidente Bolsonaro e pelo anúncio de que a Universidade terá uma gestão “com dois reitores”, a nomeada, Isabela Andrade, e o eleito pela comunidade acadêmica, mas não escolhido por Bolsonaro, Paulo Ferreira.

Em live da Universidade, Hallal chamou o presidente de “desprezível”. Afirmou que “ele não manda na UFPel”. Disse ainda: “Aqui, não! O sr. não vai ter sossego na UFPel. Na UFPel, quem manda é a comunidade”. Na live, Hallal falou ainda que a Universidade terá dois reitores, Isabela e Paulo, gerindo juntos. embora a nomeada sendo a reitora de fato e de direito.

Para Bibo, Pedro pregou a desobediência civil. “O senhor se prepare. Ou então se antecipe e peça demissão”, falou. Bibo disse que está pedindo ainda a demissão de Isabela e de Paulo, “por conivência com Pedro”.

O deputado falou que vai apresentar as representações em três instâncias:

Ao ministro da Justiça, por crime contra a honra do presidente;

À Corregedoria Geral da União, para apuração de falta funcional e eventual demissão;

Ao MPF, para apuração de eventual improbidade administrativa e eventual perda da função publica a bem do serviço público.

Segundo Bibo, o Estatuto do Funcionário Público, nos artigos 117 e 132, prevê punições por “atos de insubordinação e desapreço”.

Abaixo, a entrevista de Nunes à Guaíba. Pedro Hallal também é ouvido.

Em dois momentos: a partir do 38º minuto e, depois, a partir de 1h22min.

2 thoughts on “Bibo vai representar contra Hallal, pleiteando demissões na UFPel

  1. O radialista da Guaiba que “conduziu” a reportagem deveria manter a neutralidade….

    Não generalizando, mas o jornalismo deveria honrar o seu juramento de compromisso com a verdade…

    Sinto muito mesmo

  2. A demissão do Professor Pedro Hallal a bem do Serviço Público, não é provável, mas é possível. A sua manifestação no último dia de mandato enquadra-se perfeitamente em dois incisos do Art. 132 do RJU: V – incontinência pública e conduta escandalosa, na repartição –
    e VI – insubordinação grave em serviço. Rábulas em prontidão.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.