“Grave desvio de personalidade”

“A biografia do capitão Jair Messias Bolsonaro feita do CEPEDOC da Fundação Getúlio Vargas é uma exemplar sucessão de fatos que o levaram à presidência da República devido à leniência com que foi tratado, tanto no Exército quanto no Congresso”, diz Merval Pereira.

“Não foi apenas o general Geisel que o considerou ‘um mau soldado’. O coronel Carlos Alfredo Pellegrino, em relatório, disse que Bolsonaro tentava liderar oficiais subalternos, mas não conseguia pela ‘falta de lógica, racionalidade e equilíbrio na apresentação de seus argumentos’. No julgamento do STM, foi acusado de ter ‘grave desvio de personalidade’. Em 1991, no primeiro de seus mandatos de deputado federal, defendeu o retorno do regime de exceção, e o fechamento temporário do Congresso Nacional. Para ele, muitas leis atrapalhavam o exercício do poder e que, ‘num regime de exceção, o chefe, que não precisa ser um militar, pega uma caneta e risca a lei que está atrapalhando’”.

1 thought on ““Grave desvio de personalidade”

  1. Interessante o comentário do Merval Pereira. Se fosse um jornalista isento e sério, deveria buscar no mesmo passado que se refere ao atual Presidente da República, o comportamento de outros líderes que causaram enorme prejuízo à Nação. Isto mostra o descrédito deste tipo de jornalismo, que diuturnamente se dedica a macular a honra de quem colocou fim a malandragem desenfreada da política nacional. Bolsonaro surge num momento patético no hiato deixado por Joaquim Barbosa, que diante de tantas ameaças, poderia ter tido pela frente um Adélio. Por sua história não quis ter seu féretro carregado nos braços do povo.
    O que se vê, é que o Brasil mudou bastante,
    Mas ainda falta o Merval descrever a frase do Lula:
    – O STF está acovardado!
    Onde e quem está com desvio de Personalidade?

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.