Cinema: “Uma noite em Miami”

Ambientada na noite do dia 25 de fevereiro de 1964, Uma Noite em Miami… gira em torno do jovem lutador de boxe Cassius Clay (Eli Goree), que logo adotaria o nome de Muhammad Ali, pouco depois de derrotar o campeão dos pesos-pesados Sonny Liston. A comemoração da vitória ocorre no Hampton House Motel, em Miami, ao lado de três amigos: o ativista Malcolm X (Kingsley Ben-Adir), o cantor e lenda do soul Sam Cooke (Leslie Odom Jr.) e o jogador de futebol americano Jim Brown (Aldis Hodge).  

Cena

Ao retratar uma noite fictícia, o filme imagina o que poderia ter se passado na noite que reuniu quatro amigos, icônicos personagens da história norte-americana, que discutem seus papéis na sociedade, na luta pelos direitos civis e na revolução cultural dos anos 60.  

O longa marca a estreia na direção da excelente atriz Regina King, vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante por Se a Rua Beale Falasse. A produção adapta a peça teatral homônima de Kemp Powers, que também assina o roteiro, lançada em 2013, e transporta discussões que ainda permanecem atuais e relevantes para dentro de um simples quarto de hotel.  

Juntos em uma noite quente de 1964 para celebrar o 1º título mundial do futuro Muhammad Ali, o grupo se une para uma intensa conversa repleta de contrastes e desavenças. Apesar de cada conflito individual, como a conversão hesitante de Cassius Clay ao islamismo, a paranoia de Malcolm X, que acreditava estar sendo perseguido pelo governo e pela própria organização que atuava (ele foi assassinado em 1965), a mudança na carreira de Jim Brown e o posicionamento musical de Sam Cooke, o que une o quarteto é como eles utilizam suas posições como exemplos perante a comunidade negra.

Enquanto Malcolm X insiste para que seus amigos sejam mais incisivos em seus posicionamentos na luta pelos direitos civis, Sam Cooke, artista bem sucedido e dono de uma gravadora, se contenta em produzir conteúdos que não abordam a igualdade racial. O embate entre os dois é o ponto alto do filme, como na cena em que Malcolm X joga na cara de Sam Cooke que a música “Blowin’ in the Wind”, de Bob Dylan, reflete melhor o sofrimento dos afro-americanos que as suas. Sem priorizar nenhum personagem, o filme dá a cada um o seu devido destaque e deixa que os debates cheios de diálogos fortes carreguem o filme, sem nunca julgar que está certo e quem está errado.  

Com atuações memoráveis do elenco principal, Kingsley Ben-Adir, Eli Goree, Aldis Hodge e Leslie Odom Jr. honram a responsabilidade que receberam e extraem os maneirismos, o tom de voz e a linguagem corporal destes ícones. Em especial, Kingsley Ben-Adir e Leslie Odom Jr. estão ótimos e merecem receber uma indicação ao Oscar. O primeiro dá vida a um Malcolm X que, com a sua câmera fotográfica em mãos, se mostra mais velho e sereno que seus companheiros, mas não menos controverso. Já o segundo é um dos grandes nomes da Broadway, vencedor do Tony pelo fantástico Hamilton, e que merece muito mais destaque não somente por sua voz, mas também pelo seu talento como ator, como visto nos momentos finais com a música “A Change is Gonna Come”, uma das grandes canções de Sam Cooke.  

Produção original e exclusiva da Amazon Prime Video, Uma Noite em Miami…destaca a amizade de quatro personagens poderosos. Ressaltando aspectos do movimento negro dos anos 60 que ressoam até hoje, é um filme necessário, certeiro e imperdível.  

Déborah Schmidt

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.