RELATOS DO MUNDO

Em 1870, o Capitão Jefferson Kyle Kidd (Tom Hanks) é um viúvo e veterano de três guerras que viaja pelo Texas lendo as notícias do mundo para os moradores. Ele aceita uma proposta para levar uma menina de 10 anos, Johanna (Helena Zengel), até seus familiares.

Levada pela tribo Kiowa anos atrás, ela não conhece sua família e tem um comportamento hostil com as pessoas ao seu redor, mas acaba criando um vínculo com Kidd. Juntos, eles viajam centenas de quilômetros e enfrentam graves perigos enquanto procuram um lugar que ela possa chamar de lar.

Conhecido por sua câmera frenética e pelas sequências de ação de tirar o fôlego, o diretor Paul Greengrass entrega o primeiro faroeste de sua excelente filmografia.

Também estreante no gênero, Tom Hanks se reúne com o diretor após o sucesso de Capitão Phillips.

O grande acerto da produção se deve à escolha da excelente dupla de personagens principais, formada por Hanks e pela jovem atriz alemã Helena Zengel. O roteiro escrito por Greengrass e Luke Davies, a partir do livro de Paulette Jiles, conta com os artifícios conhecidos do faroeste, como as perseguições a tiros no Velho Oeste e a personalidade introvertida de um protagonista que busca por redenção.  

Sustentado por uma impecável recriação de época, construída através da trilha sonora do experiente James Newton Howard e pela bela fotografia de Dariusz Wolski, o longa explora uma jornada que evita qualquer tipo de conflito. Cinco anos após a Guerra Civil, o discurso do protagonista preza pela importância da informação, e do quanto ela é essencial para uma sociedade. Não deixa de ser um interessante paralelo com os dias atuais.  

Em tempos de fake news, um personagem de 1870 mostra o poder da informação. Otimista, Relatos do Mundo é um faroeste que não tira os pés da atualidade.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.