Connect with us
https://www.mvpthemes.com/zoxnews/wp-content/uploads/2017/07/zox-leader.png

Cultura & entretenimento

E DEUS CRIOU A MULHER…

Publicado

on

Em meio translúcido, de temperatura agradável e mergulhado em um líquido acolhedor, o pequeno ser desfrutava de momentos de indescritível tranquilidade. Um corpo pequeno, frágil, mas com um potencial de vida que, explorado na sua plenitude durante o resto de sua vida, poderia ser parte da solução de harmonização do planeta.

Brigitte Bardot no filme E Deus criou a mulher, de Roger Vadim

Este frágil ser movimentava-se em câmara lenta, mais parecia uma dança em ritmo de profunda harmonia com os movimentos do universo que o circundava. Quando começava a se sentir intranquilo uma mão cheia de afeto e de amor incondicional suavemente deslizava por sobre as paredes que o protegia. Muitas vezes ouvia sons agradáveis que o deixava calmo e até sonolento. Outros momentos vozes e ruídos mais fortes o deixavam irritado, desperto e angustiado, mas imediatamente aquela voz melodiosa o fazia retornar ao estado de alegria total.

Cada dia que passava, embora estivesse bem acomodado, aumentava sua expectativa sobre o seu destino. Algum dia deveria sair daquele lugar acolhedor e se lançar em uma aventura no mundo externo, que só conhecia pelos seus efeitos indiretos, mas que podia muito bem perceber.
Alimentando-se daquele corpo que o transportava, aquele pequeno ser cresceu. O ambiente espaçoso dos primeiros tempos já não parecia tão adequado às suas dimensões iniciais e originais. Precisava sair. Precisava nascer!

Pressionado por esta necessidade e obedecendo a seu instinto, inteligência inata impressa em seu DNA, começa a percorrer o caminho de saída. Percebe pelo seu próprio sofrimento o sofrimento do outro ser para que seu destino possa ser cumprido.

Entre gemidos de dor de ambos e vozes preocupadas de desconhecidos, mas que pareciam estar ajudando naquela caminhada, foi lentamente entrando em um novo mundo, mais complexo, mais agressivo, mas com muita luz e muitas oportunidades.

Esta criança ao nascer estava cumprindo com a magia da maternidade. O corpo da mãe a havia gestado dando-lhe alimento, calor, tranquilidade e amor, muito amor.

Esta mesma mãe estava proporcionando ver a luz pela primeira vez e ainda, pelo mesmo amor, iluminaria o seu caminho para que aquela criança pudesse ir de encontro ao seu destino de forma digna e cidadã.

Mãe e mulher, indissociáveis, formam a dualidade perfeita, pois em seu corpo, por obra do amor, forma-se um outro ser que terá que render homenagens permanentemente à mulher que o abrigou em seu ventre, deu-lhe o primeiro alimento, fez os primeiros gestos de amor e o entregou puro à sociedade.

Por isto tudo Deus fez a mulher depois do homem, pois necessitou aperfeiçoar sua criação, entregando a continuidade de seu trabalho à mulher.

Então, Ele descansou…

Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.

Cultura & entretenimento

O tema da vida

Publicado

on

“Não precisei ir aos livros para saber que o tema da vida é conflito e dor. Instintivamente, todas as minhas bufonadas se baseavam nisso: colocar as criaturas em dificuldades e fazê-las sair delas”.

Charles Chaplin.

Chaplin em Ombro, Armas

Continue Reading

Cultura & entretenimento

Baldwin foi informado de que arma era segura

Publicado

on

A arma com que Alec Baldwin matou Halina Hutchins, diretora do filme Hust, rodado em Santa Fé, nos EUA, foi entregue a ele por um assistente de direção.

O homem teria dito que a pistola era segura, segundo a polícia.

O diretor assistente Dave Halls não sabia que a arma tinha munição de verdade e afirmou que ela não estava carregada gritando “arma fria”, segundo o documento judicial.

PUBLICIDADE

Continue Reading

Cultura & entretenimento

Gel de garrafa térmica

Publicado

on

Estamos vivendo mesmo tempos difíceis.

Outro dia, em um vídeo do Reels, uma pessoa, no balcão de uma mercearia, tentou espremer gel higienizador da covid de uma garrafa térmica.

Enganou-se de recipiente, ardeu nas mãos.

Tem que ter resiliência de Kung Fu.

PUBLICIDADE

Clique aqui para um tour pela Escola Mario Quintana

https://marioquintana.com.br/tourvirtual/

Continue Reading

Em alta