Connect with us
https://www.mvpthemes.com/zoxnews/wp-content/uploads/2017/07/zox-leader.png

Cultura & entretenimento

Cherry – Inocência perdida

Publicado

on

Mundialmente conhecidos graças ao sucesso da saga final dos Vingadores em Guerra Infinita e Ultimato, os irmãos Anthony e Joe Russo estão de volta com Cherry – Inocência Perdida, estreia da Apple TV+.

Primeiro filme dirigido pela dupla após 5 anos dedicados a 4 filmes da Marvel, Cherry acompanha um ex-médico do exército (Tom Holland) que sofre de transtorno de estresse pós-traumático ao retornar do Iraque. Ao tentar lidar com a doença, ele vira assaltante de bancos para sustentar seu vício em drogas.

Baseado no livro de Nico Walter e com roteiro de Jessica Goldberg e Angela Russo-Otstot, o filme é narrado pelo protagonista e dividido em capítulos, desde sua juventude, passando pelo seu casamento com Emily (Ciara Bravo) até retornar do Iraque. O filme entrega uma história de caos, tanto na vida do protagonista como na forma que os irmãos Russo utilizam para contá-la.

A trama aborda a dificuldade que os soldados norte-americanos têm em se readequar à sociedade no período pós-guerra. O problema é que os momentos em campo no Iraque duram muito pouco tempo, pois é ali que os traumas e os efeitos da guerra causam uma mudança de vida brutal e inesperada no protagonista. Durante os outros momentos do longa, observamos cenas em câmera lenta, músicas clássicas que sobrepõem diálogos e momentos excessivamente dramáticos.

Com isso, o filme se perde em meio às diversas subtramas, como seu relacionamento com Emily. Afinal, há poucas informações sobre os personagens e como eles eram antes do relacionamento. Em acontecimentos repetitivos e desgastantes, não conseguimos sentir empatia pelo casal, visto que a falta de dinâmica na direção dos Russo parece se preocupar mais no estilo, abusando de cortes, edição frenética, narração em off, quebra da quarta parede, além de tons e estéticas diferentes. O problema é que eles usam tantas técnicas que acabam deixando o enredo em segundo plano.

O filme realmente se sustenta pelo talento e pela dedicação de Tom Holland, que consegue variar e entregar uma boa atuação, que vai desde um garoto tímido, um soldado do exército, um viciado em drogas e um ladrão de bancos. Apostando em papeis mais sérios e intrigantes que contrastem com o seu Homem-Aranha, o ator acerta mais uma vez no tom sombrio, como visto anteriormente em O Diabo de Cada Dia.

Visualmente atraente, Cherry – Inocência Perdida não consegue entregar uma narrativa consistente e interessante. Um filme com qualidades e muito potencial, mas que, em quase duas horas e meia de projeção, acaba se tornando cansativo.

Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.

Cultura & entretenimento

36ª Romaria terá primeiro pedal de Guadalupe

Atividade ocorrerá no dia 6 de novembro, com saída às 9h da Av. Vinte e Cinco de Julho, 3735, bairro Três Vendas

Publicado

on

A 36ª Romaria de Guadalupe convida a comunidade para participar do 1º Pedal de Guadalupe: o desafio de São José! A atividade ocorrerá no dia 6 de novembro, às 9h, com partida da Av. Vinte e Cinco de Julho, 3735, no bairro Três Vendas. 

A pedalada ocorrerá em ritmo leve, com previsão de chegada ao Santuário às 11h30. As inscrições para participação devem ser feitas até o dia 29 de outubro no site da Arquidiocese de Pelotas, com taxa de R$ 35,00, e dará direito a camiseta do evento, além de participação em sorteio de bicicleta e viagem para a Casa da Mãe Aparecida. 

As camisetas deverão ser retiradas no Instituto de Menores Dom Antônio Zattera (IMDAZ) nos dias 3, 4 e 5 de novembro. O Instituto fica localizado na Av. Domingos de Almeida, 3150. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (53) 98414-9236. 

PUBLICIDADE

Homenagem

Neste ano, a Igreja Católica homenageia São José em comemoração aos 150 anos de sua proclamação como guardião universal da Igreja. O 1º Pedal de Guadalupe também homenageará o pai de Jesus, reconhecido como guardião da fé dos católicos. 

Continue Reading

Cultura & entretenimento

Juiz Marcelo Cabral palestra sobre crime racial

Ele abordará “A responsabilização Civil e Criminal por Crimes Raciais”

Publicado

on

Nesta terça-feira (26) ocorre a sétima e última palestra da edição deste ano do Projeto de Visibilidade do Negro no Museu da Baronesa, que traz temáticas referentes à negritude e o papel do negro no Museu na sociedade pelotense.

O convidado do evento virtual é o juiz de Direito e diretor do Foro de Pelotas, Marcelo Malizia Cabral, que abordará “A responsabilização Civil e Criminal por Crimes Raciais”. A transmissão ao vivo pelo Instagram do Museu começa às 20h. 

“Precisamos discutir sobre o porquê da maioria dos casos de racismo acabarem sendo processados apenas como injúria racial no Brasil. Por que se tende a ‘suavizar’ esses crimes?”, questiona a conservadora-restauradora Fabiane Rodrigues Moraes, atual diretora do Museu da Baronesa, que será uma das provocadoras da conversa com o juiz Cabral, junto de Marcelo Hansen Madail, conservador-restaurador do Museu da Baronesa.

Fabiane recorda que o projeto anual sempre começa com um tema histórico, do século XIX, e se encaminha para temas atuais. Esse ano, começou com Jonas Vargas abordando as riquezas que o charque e a mão de obra escravizada geraram para as famílias dos barões e para a cidade.

Em novembro, ocorre o Sopapo – 4° Encontro no Museu (edição virtual), evento que marca o Dia da Consciência Negra, em 20 de novembro, e esse ano vai debater “O negro nós museus”. “Vamos aproveitar que nesse momento se discute um novo conceito de ‘museu’, tanto no exterior quanto no Brasil, para pensar qual o espaço que o negro tem nos museus brasileiros e mesmo no Museu da Baronesa”, antecipa a diretora.

Ela diz que o evento Sopapo é um momento de reflexão, avaliação sobre as atividades realizadas ao longo do ano e acolhimento de sugestões para o ano seguinte.

Continue Reading

Cultura & entretenimento

Vilson Farias autografa novo livro na Mundial, dia 16

Obra aborda reformas trabalhista e previdenciária

Publicado

on

Advogado e ex-promotor Vilson Farias autografará novo livro.

A obra, intitulada Tópicos das reformas trabalhista e previdenciária, tem prefácio da ex-Procuradora Geral da República Raquel Dodge (veja trecho abaixo).

Dia 16, na Livraria Mundial, às 17h30. Preço R$ 80.

Livro já está à venda na Livraria Mundial.

Vilson Farias

Trecho do prefácio de Raquel Dodge, ex-Procuradora Geral da República:

Vilson Farias e sua obra devem ser saudados por esta qualificada contribuição jurídica. Este livro oferece balizas para compreender o modelo de razão e escolha, que é republicano na origem e eminentemente constitucional desde 1988. Vilson Farias é um estudioso das leis e da jurisprudência.

Há anos constrói uma doutrina que busca tornar a lei mais compreensível para os operadores do direito e para o cidadão comum: não apenas no que estabelece como regra de deve ser e como vem sendo aplicada na jurisprudência, mas também ao revelar suas discrepâncias com a Constituição, ou ao indicar o que a lei propõe para enfrentar a realidade e auxiliar a construir a nação.

Continue Reading

Em alta