Connect with us
https://www.mvpthemes.com/zoxnews/wp-content/uploads/2017/07/zox-leader.png

Pandemia

Variantes do coronavírus são identificadas em Pelotas

Publicado

on

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou nesta sexta-feira (16), que foi identificada, em Pelotas, a variante do coronavírus VOC 202012/01, conhecida também como a variante do Reino Unido. Esta cepa da doença ainda não havia sido registrada no Rio Grande do Sul. Além da variante britânica exames analisados pelo Laboratório Central do Estado (Lacen/RS) determinaram a presença no município das variantes nacionais VOC P.1 e P.2., detectadas em Manaus e Rio de Janeiro, respectivamente, e que já circulavam no Estado.

Os exames coletados em Pelotas são enviados para análise do Lacen/RS, que também faz o sequenciamento genético. Em alguns casos, esses exames são encaminhados também para verificação daFundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), explica a secretária de Saúde Roberta Paganini.

Assim que tomou conhecimento dos resultados positivos para essas cepas do coronavírus, a 3ª Coordenadoria Regional de Saúde (3ª CRS) entrou em contato com a SMS para que uma investigação mais detalhada fosse feita. “Toda a investigação é feita por meio de parceria da Vigilância Epidemiológica municipal com a Vigilância da 3ª CRS”, explicou a delegada Caroline Hoffmann.

Aumentar a vigilância

Após essa etapa, as informações foram encaminhadas ao Centro de Operações de Emergências da Saúde (COE) estadual que investigará as características das infecções e onde ocorreram. A diretora do Diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), Cynthia Molina Bastos, explica que novas variantes exigem reforço nos protocolos sanitários, como uso da máscara, distanciamento social e higienização.

“Qualquer variante nova, qualquer alteração no vírus, não é motivo para pânico, mas é mais um sinal que devemos redobrar a vigilância porque variantes novas e estas alterações que estão sempre acontecendo aumentam a chance de que todo o poder dessa vacinação em massa que a gente está fazendo possa ficar um pouquinho mais fraco”, frisa Cynthia.

A 3ª CRS e a SMS também esclarecem que somente nos exames RT PCR feitos em laboratórios oficiais são passíveis de se identificar variantes do coronavirus, o que auxilia na definição de estratégias efetivas de controle da epidemia.

Entenda as variantes

De acordo com a Nota Técnica n° 59 do Ministério da Saúde (MS), a variante VOC 202012/01, linhagem B.1.1.7, foi notificada pela primeira vez em dezembro de 2020 no Reino Unido. Ela tem maior transmissibilidade e é considerada mais letal, podendo gerar aumento de hospitalizações e incidência de casos em função disso.

Já a variante VOC P.1, linhagem B.1.1.28 foi notificada em 9 de janeiro de 2021, pela autoridade do Japão à Organização Mundial de Saúde (OMS) e ao Ponto Focal do Regulamento Sanitário Internacional (PFRSI) do Brasil. A notificação descreveu a identificação da nova cepa em viajantes provenientes de Manaus. Esta nova variante apresenta mutações que geraram alterações de importância biológica e são semelhantes às detectadas no Reino Unido. O Ministério da Saúde também alerta na mesma Nota Técnica, que “devido ao aumento rápido e expressivo do número de casos e óbitos pela doença em Manaus, há uma hipótese de que isso esteja relacionado com uma maior infectividade dessa variante”.

A variante VOC P.2, linhagem B1128, foi detectada pela primeiro vez no Rio de Janeiro em outubro de 2020, ela tem característica de alta transmissão e há hipóteses de que estar associada a não reconhecimento por anticorpos neutralizantes de pessoas já infectadas por coronavírus, explica a epidemiologista da 3ª Coordenadoria Regional de Saúde (3ªCRS), Dóris Schuch.

“A sigla VOC se origina do inglês- Variant of Concern e é um indicativo para variantes de atenção devido à preocupação dos especialistas da introdução das mesmas nos territórios e o respectivo impacto na transmissão e capacidade de enfrentamento e atenção à saúde das pessoas infectadas”, explica a epidemiologista.

Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.

Pandemia

Covid: Governo alerta pela segunda vez para aumento da contaminação em Pelotas

Novamente Pelotas foi notificada, para que possa controlar a propagação do vírus na região.

Publicado

on

Em reunião na tarde desta quarta-feira (27/10), o Gabinete de Crise decidiu emitir um segundo alerta a Pelotas, pelo aumento da contaminação pela covid na cidade. Alerta pela segunda semana consecutiva.

O governo também autorizou mudanças nos protocolos de competições esportivas, com liberação parcial das arquibancadas, e das escolas gaúchas, autorizando o retorno obrigatório às aulas presenciais para estudantes da Educação Básica.

As outras 20 regiões não receberam Avisos ou Alertas.

PUBLICIDADE

Clique aqui para um tour pela Escola Mario Quintana

https://marioquintana.com.br/tourvirtual/

• Acesse dados e históricos das regiões Covid.

O alerta, que o governo chama de Aviso (são sinônimos) é o primeiro passo do Sistema 3As de Monitoramento, com o qual o governo do Estado gerencia a pandemia no Rio Grande do Sul. Conforme os técnicos do GT Saúde, Pelotas apresentou piora em alguns indicadores em relação à semana anterior, por isso recebeu novamente a notificação, para que possa controlar a propagação do vírus na região.

Na região Covid de Pelotas (R21), entre os dados que levaram à emissão da notificação, está a incidência de 160,1 novos casos confirmados por 100 mil habitantes na última semana, patamar acima do dobro da média estadual. A região ainda apresenta tendência de crescimento nesse indicador, que há duas semanas estava no nível de 87,4, impactando em um aumento de 83,2% em 13 dias.

No indicador de ocupação de leitos clínicos, Pelotas apresenta aumento contínuo no número de internados, atingindo 48 confirmados e 14 suspeitos (62 no total) nesta semana. Aumento de 48%, entre confirmados e suspeitos, em um mês.

Quanto às UTIs, a região também apresenta crescimento e estava com 21 casos confirmados e 15 suspeitos na terça-feira (26/10) – elevação de 111,76% em menos de um mês.

O Gabinete de Crise ainda debateu alguns pedidos e demandas setoriais em relação a protocolos vigentes. Entre os quais, o pedido dos clubes de futebol da capital – Grêmio e Internacional –, para abertura das arquibancadas, sem demarcação de assentos, para as torcidas organizadas.

A equipe de governo entendeu que é possível atender à solicitação nos estádios da Arena do Grêmio e do Beira-Rio, em caráter experimental, nos termos solicitados pelos clubes e respeitando as especificidades destes. O limite de 30% de ocupação dos estádios – que é o protocolo vigente para competições esportivas com mais de 2,5 mil pessoas – segue sem alteração. A autorização excepcional será informada aos dois clubes e passa a valer de forma imediata.

Por fim, o Gabinete de Crise decidiu acatar o pedido da Secretaria da Educação (Seduc) para que o retorno presencial às aulas se torne obrigatório aos estudantes da Educação Básica (educação infantil, ensino fundamental e ensino médio) e todas as redes de ensino do Rio Grande do Sul (estadual, municipais e privadas).

“As crianças e adolescentes não estão isolados em casa. Estão interagindo e participando da sociedade. Portanto, não adianta apenas restringir a interação deles na escola. A escola é onde muitos têm acesso à alimentação e onde o processo de aprendizagem é mais efetivo. Neste momento, em que os indicadores estão estáveis, e até caindo, e que a vacinação aumenta em ritmo acelerado, os efeitos colaterais de termos um ensino fragilizado são mais graves do que a própria doença. Por isso, como nos tratamentos médicos, é preciso ajustar a dose do medicamento ao estágio da doença”, afirmou o governador Eduardo Leite, que coordenou o Gabinete de Crise.

PUBLICIDADE

A solicitação de retorno de todos os estudantes no regime presencial também foi feita pelos representantes das redes municipais e particulares no Centro de Operações e Emergência em Saúde (COE) Estadual, que conta com a presença de representantes da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação do RS (UNCME/RS), do Conselho Estadual de Educação (CEEd), da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe).

Além disso, em reunião com Ministério Público, foi pontuada a importância e o compromisso para que todas as crianças e jovens voltem a frequentar a escola de maneira presencial, para mitigar os efeitos da pandemia na educação. Entre os argumentos, o fato de que muitos alunos não voltaram aos estudos e que o processo de ensino aprendizagem é mais efetivo com o estudante presente em sala de aula, como apontam estudos.

O Gabinete de Crise decidiu aprovar o retorno presencial obrigatório na Educação Básica, desde que sejam garantidos os protocolos sanitários vigentes. Na avaliação da equipe de governo, tendo em vista a queda das taxas de contaminação e hospitalizações e o avanço da vacinação no RS, o momento é propício para a retomada das aulas presenciais.

Em casos de excepcionalidade, como condições médicas específicas e comorbidades, será autorizada a continuidade das atividades escolares do estudante em regime remoto. O detalhamento dessas exceções será debatido entre as equipes das secretarias da Educação e Saúde e posteriormente publicadas em decreto.

“A escola não é foco de contaminação, ela reflete a condição da comunidade em que está inserida. Precisamos desse retorno pela questão pedagógica, cada dia é importante para os estudantes. Quanto mais tempo sem a escola, mais difícil é trazer os jovens de volta”, disse a secretária da Educação, Raquel Teixeira.

As mudanças autorizadas deverão ser detalhadas e oficializadas pelo governo do Estado.

Continue Reading

Especial

PELOTAS TEM UMA NOVA MORTE POR COVID E 150 INFECTADOS

Números confirmam tendência de alta da contaminação e alerta da UFPel

Publicado

on

Pelotas registrou mais uma morte por covid nesta quarta, 27.

Mulher de 78 anos.

A cidade registrou 150 infectados nas últimas 24 horas, confirmando a tendência de alta da contaminação e o alerta feito pelo Comitê Covid da UFPel.

Pelotas tem 67 pessoas internadas, 56,8% de ocupação. Pessoas de 4 meses a 88 anos de idade.

25 em leitos de UTI, 75,8% de ocupação.

42 em enfermaria, 49,4% de ocupação.

Contando o óbito de hoje, 1.180 morreram pela doença na cidade.

***

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Clique aqui para um tour pela Escola Mario Quintana

https://marioquintana.com.br/tourvirtual/

Continue Reading

Pandemia

UBS Cohab Fragata retoma atendimentos após desinfecção

Unidade foi desinfetada e volta à rotina com profissionais que tiveram resultado negativo nos testes de coronavírus

Publicado

on

A Unidade Básica de Saúde (UBS) Cohab Fragata, com atendimento suspenso desde a sexta-feira (22), devido a resultados positivos para coronavírus em alguns profissionais e a manifestações de sintomas gripais em outros, retornou às atividades na tarde desta terça-feira (26).

PUBLICIDADE

As instalações da UBS passaram por desinfecção e foram recebidos os laudos que faltavam de todos os profissionais testados. Três acusaram positivo e foram afastados em quarentena.

Os demais, negativaram para a Covid-19 e seguem em atividade garantindo os atendimentos aos usuários do sistema.

PUBLICIDADE

Clique aqui para um tour pela Escola Mario Quintana

https://marioquintana.com.br/tourvirtual/

Continue Reading

Em alta