Prefeitura planeja dar auxílio emergencial

Em reunião virtual realizada na terça-feira (1º), a prefeita Paula Mascarenhas e secretários municipais apresentaram dados e um pré-projeto, que possibilitará a implantação de auxílio emergencial municipal, destinado a mulheres chefes de família em situação de vulnerabilidade social. A iniciativa ainda está sendo formatada pelo Executivo antes do encaminhamento à Câmara de Vereadores.

Durante a reunião, para a qual foram convidados todos os parlamentares, a prefeita detalhou algumas possibilidades respeitando e atendendo a limitações econômicas e financeiras do Município. Segundo os critérios estabelecidos no levantamento feito pela Secretaria de Assistência Social (SAS), o número de mulheres chefes de famílias, que estejam no Cadastro Único sem nenhum benefício, e que tenham renda entre R$ 89,00 e R$ 178,00, estaria dentro de um quantitativo de 1.139 aptas a receber um benefício em torno de R$ 300,00, por dois meses no mínimo.

A prefeita disse reconhecer a importância da necessidade de se auxiliar as famílias em vulnerabilidade provocada pela pandemia, mas também compartilhou a realidade do Município, que não recebeu nenhum recurso Federal para a saúde, além dos constitucionais este ano. “É com grande insegurança que a gente trata desse tema tão relevante, mas estamos encaminhando um projeto para Câmara, dentro do que é possível, para que, lá, haja o debate e se chegue a um resultado que caiba na capacidade financeira do Município e que permita que os recursos cheguem a quem mais precisa”, explicou a chefe do Executivo, que também sugeriu a possibilidade de o Legislativo ser parceiro nesse projeto, contribuindo com algum repasse financeiro.

Alguns vereadores acharam interessante o valor alcançado após os cálculos de viabilidade. Outros defenderam a ideia de diminui-lo um pouco e aumentar o número de beneficiados ou de parcelas.

O presidente da Câmara, vereador Cristiano Silva (PSDB), explicou que tem interesse em ajudar com algum aporte financeiro, mas que precisará refazer um novo estudo de valores, diante de novas despesas que surgiram recentemente.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.