Cuba balança. Por Montserrat Martins

Cuba está em ebulição, com aquele clima de Venezuela, como também está Hong Kong na China, países onde regimes de esquerda enfrentam manifestações pela falta de liberdade. Para os simpatizantes desses regimes, a resposta é sempre a mesma: a culpa é dos Estados Unidos.

“Cuba é a Disneylândia da esquerda”, disse uma vez o irônico Delfim Netto, um economista tão por dentro da política que chegou a ser Ministro em governos militares e depois ainda foi conselheiro dos governos lulistas. A ironia é que num país pequeno assim é mais fácil controlar e promover “maravilhas” para a propaganda política, como não seria num país maior, como é o caso do nosso país continental.

A ironia maior, no entanto, é que as mesmas justificativas para defender os regimes de Cuba e Venezuela são usadas pelo governo brasileiro para suas ameaças, só que com a inversão do inimiigo, aqui a culpa de haver oposição não é o imperialismo dos Estados Unidos, é o comunismo da China que estaria por trás de tudo.

O Presidente do Brasil ameaça não ter eleições se não tiver voto impresso – sendo que ele próprio foi eleito pelo voto eletrônico – e também ameaça não renovar a concessão da Rede Globo que é acusada nas redes de whatsapp bolsonaristas como uma “mídia comunista”.

Estranho “comunismo” esse da Globo que denuncia a falta de liberdade em Cuba, na Venezuela e mostra as manifestações em Hong Kong na China, mas mesmo assim, com seus noticiários criticando abertamente o comunismo, é chamada de comunista porque critica o Presidente.

Um Poder Executivo que quer determinar como deve funcionar o Tribunal Superior Eleitoral e quer determinar como funciona a imprensa é muito parecido com o “comunismo” que ele critica, cujos inimigos também são a imprensa e cujo sistema eleitoral é dominado pelo Executivo, sem a independência do Judiciário.

Não sabemos o que vai acontecer com Cuba, como não sabíamos que a União Soviética iria se dissolver e dela emergir só a Rússia, com os outros países se libertando do seu domínio. Também não sabemos o que vai acontecer com o Brasil, com esse clima de um Presidente que já está indicando o segundo Ministro escolhido por ele para o STF, mas que ameaça a ordem constitucional sempre que ela não lhe parece favorável.

2 thoughts on “Cuba balança. Por Montserrat Martins

  1. Excelente texto. Bem resumido e claro.

    Mas além de termos que lidar com o nomofobia, temos que lidar com as imagens digitais mentirosas e oficiais ao estilo de João Santana, da religião cujo nome é Petismo.

    Desde então, o Brasil piorou muito. Com o vigarismo dessa religião.

    Necessitamos muito de bons hospitais. E escolas boas para os curumins.

    Precisamos de alta-cultura. Alta literatura; Kafka, Drummond, Dostoievski, Machado de Assis, Aluísio Azevedo do Maranhão. De arte autônoma. Da história das artes plásticas, nas escolas. E educação verdadeira nas escolas dos pequenos. O que não houve.

    O Brasil vive consequência de nosso passado político bem atual (2 décadas).
    Fome, falta de moraria, atraso, breguices, escolas ruins, falta de hospitais: concreto…
    O resto são frasinhas® poderosas:

    Fatos bem recentes na política brasileira. Veja:
    A “Copa das Copas®” do PT® em vez de se construir hospitais, construiu-se prédios inúteis! A Copa das Copas®, do PT© e de lula©.

    Nada se fez em 13 anos para esse mal brasileiro horroroso. Apenas propagandas e propagandas e publicidade. Frasinhas.

    Qual o poder constante da propaganda ininterrupta do PT®?
    Apenas um frio slogan, o LUGAR DE FALA do Petismo® (tal qual “Danoninho© Vale por Um Bifinho”/Ou: “Skol®: a Cerveja que desce Redondo”/Ainda: “Fiat® Touro: Brutalmente Lindo”). Apenas signos dessubstancializados. Sem corporeidade.

    Aqui a superficialidade do PETISMO®:
    Signos descorporificados. Sem substância. Não tem nada a ver com um projeto de Nação. Propaganda:
    Nem tudo que é legal é honesto. O PT® nos induz ao engodo com facilidade.

    PT franchão nauseabundo.

    A maior Raposa (mansinha, mansinha) é o lula, do PT.

    1. Independente de partido vale lembrarmos que aqueles que estão lá no topo deveriam estar preocupados com o interesse coletivo, ou seja com a infra estrutura nos hospitais, nas escolas, nas estradas, na segurança… em muitos anos, apesar de interesses contrários diários, estamos vendo um presidente que quer colocar o Brasil nos trilhos, e é muito mas muito difícil derrubar essa cultura de corrupção impregnada já tanto tempo nesse país… 2014 mais de 40 mil funcionários federais contratados por Dilma, em 2021 até o momento são menos de 2 mil… há quem diga que os serviços públicos vão piorar, não acredito nisso pois desde sempre foi inchado e ineficiente. Apoio todo aquele que ao invés de roubar e fazer lavagem cerebral desperte o pensamento crítico e a vontade nas pessoas de voltar a acreditar em um país mais justo. Minha opinião, não sou dona da verdade e se esse presidente virar um “Lula de direita” mudo meu voto quantas vezes for preciso, até porque eles estão aí para defender os interesses do povo não esqueçamos nunca disso. Abraço a todos independente de partido!

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.