Aplicação da 2ª dose para grupos prioritários começa nesta terça-feira

Começa nesta terça-feira (20), a antecipação da 2ª dose das vacinas Astrazeneca e Pfizer, que protegem contra a Covid-19. O adiantamento ocorreu após uma determinação da resolução 190/21 da Comissão Intergestores Bipartite (CIB/RS). O objetivo é garantir melhor resposta imune em decorrência da suspeita de casos da variante Delta no RS. 

Em Pelotas, a Prefeitura preparou um cronograma para organizar a imunização de todos os públicos que devem comparecer para concluir o esquema vacinal. Confira como será a organização:

– Deficientes permanentes com BPC e pessoas com comorbidades

Os portadores de deficiência permanente, que recebem Benefício de Prestação Continuada (BPC) e pessoas com as comorbidades definidas pelo Plano Estadual de Vacinação, com idades entre 59 a 54 anos, além de pacientes com doença renal crônica e Síndrome de Down de 18 a 59 anos, que fizeram a 1ª dose da vacina em drive-thrus, no Centro de Eventos, nos dias 6, 7 e 10 de maio, deverão receber o complemento do imunizante na terça-feira (20), nos pavilhões da Fenadoce. Já quem faz parte deste grupo e foi vacinado nos dias 11 e 12 de maio, nos bairros, deverá comparecer no dia 23 de julho (sexta-feira), nos sete pontos de aplicação definidos pelo Município.

Já os deficientes permanentes com BPC e pessoas com comorbidades definidas pelo Plano Estadual de Vacinação, com idades entre 59 a 40 anos, que foram vacinados com a 1ª dose nos dias 11 e 12 de maio, nos drives, deverão receber a 2ª dose no dia 21 (quarta-feira). As pessoas desse público que fizeram a vacinação nos bairros, em 13 e 14 de maio, devem procurar os locais de imunização no dia 26 de julho (segunda-feira). 

– Profissionais da área da saúde

Outro grupo que deve proceder a aplicação da 2ª dose para imunização completa é o de profissionais da área da saúde, com registro em Conselho de Classe, que realizaram a 1ª dose 

nos dias 28 e 29 de abril. Esse grupo deve comparecer na terça-feira (20), ao Campus Pelotas do IFSul, para receber o complemento.

– HIV e Aids

As pessoas que possuem HIV/Aids, tem entre 59 e 54 anos e receberam a 1ª dose da proteção nos dias 11 e 12 de maio, devem procurar o Serviço de Assistência Especializada (SAE), onde já realizam seu tratamento, para fazer a segunda parte da vacina, na no dia 22 de julho (quinta-feira), das 9 às 17h.

Confira como fica o cronograma:

Drive-thru

Centro de Eventos, das 9 às 17h – com entrada pela avenida Pinheiro Machado

20/7 (terça-feira) – 2ª dose para:

*Deficientes permanentes com BPC, de 59 a 54 anos;

*Pessoas com comorbidades definidas, de 59 a 54 anos;

*Paciente com Doença Renal Crônica Renal, de 18 a 59 anos; 

* Pessoas com Síndrome de Down, de 18 a 59 anos. 

21/7 (quarta-feira) -2ª dose para:

*Deficientes permanentes com BPC, de 59 a 40 anos; e

*Pessoas com comorbidades definidas, de 59 a 40 anos.

IFSul

Campus Pelotas, das 9 às 17h, Praça 20 de Setembro.

20/7 (terça-feira) – 2ª dose para:

*Profissionais da Saúde com registro em conselho de classe.

Serviço de Assistência Especializada (SAE), das 9h às 17h

22/07 (quinta-feira) – 2ª dose para:

*Pessoas com HIV e Aids, de 59 a 40 anos.

Bairros – das 10 às 15h

23/07 (sexta-feira) – 2ª dose para:

*Deficientes permanentes com BPC, de 59 a 54 anos;

*Pessoas com comorbidades definidas, de 59 a 54 anos;

*Paciente com Doença Renal Crônica Renal, de 18 a 59 anos; 

* Pessoas com Síndrome de Down, de 18/59 anos. 

26/07 (segunda-feira) – 2ª dose para:

*Deficientes permanentes com BPC, de 59 a 40 anos;

*Pessoas com comorbidades definidas, de 59 a 40 anos;

Veja os documentos necessários para a 2ª dose

– Carteira de Vacinação, para comprovar a 1ª dose; e

– Documento de identidade.  

Para agilizar o processo de imunização, nos drive-thrus e nos pontos dos bairros, a Prefeitura disponibiliza, no hotsite do coronavírus, o comprovante de vacinação. As pessoas que irão se vacinar podem levar o documento impresso, com as informações pessoais preenchidas. No entanto, a SMS esclarece que levar o comprovante preenchido não é uma obrigação, mas uma maneira de facilitar o trabalho e diminuir o tempo de espera durante o processo. 

Endereços dos pontos de vacinação nos bairros

– Pelotas Parque Tecnológico – avenida Domingos de Almeida, 1.785 – Areal

– Colégio Pelotense – Ginásio, entrada pela avenida Bento Gonçalves – Centro

– União Gaúcha – avenida Engenheiro Ildefonso Simões Lopes, 531 – Cohab Tablada

– CTG Os Farrapos – rua Raul Pompeia, 1.400 – Santa Terezinha

– Associação Rural – Casa da Amizade, avenida Fernando Osório, 1.754 – Três Vendas

– Comunidade Católica Nossa Senhora de Lourdes – salão da igreja, avenida Amazonas, 515 – Balneário dos Prazeres

– Paróquia São José – avenida Duque de Caxias, 520 – Fragata

SMS alerta

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que é preciso aguardar o intervalo mínimo de 14 dias entre a aplicação da vacina contra a Covid-19 e qualquer outra do esquema vacinal, incluindo a que protege da gripe, para garantir a imunização correta.

Além disso, as pessoas que apresentarem sintomas gripais não devem comparecer na data marcada. O mesmo vale para quem tiver positivado para o coronavírus. É preciso aguardar 30 dias do início dos sintomas para receber a aplicação.

Lista de comorbidades definidas pelo Plano Estadual de Vacinação

Abaixo, estão listadas as comorbidades incluídas nos grupos prioritários da vacinação contra a Covid-19 e suas descrições de acordo com o Plano Estadual de Imunização.

– Diabetes Mellitus (DM): diagnóstico de Diabetes Mellitus

– Pneumopatia crônica grave: DPOC, Fibrose cística, fibrose pulmonar, pneumoconioses, displasia broncopulmonar ou asma grave (uso recorrente de corticóide sistêmico ou hospitalização por asma)

– HAS resistente: HAS não controlada com uso de três ou mais anti-hipertensivos em doses máximas ou HAS controlada com o uso de quatro classes de anti-hipertensivos

– HAS estágio 3: PA sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg

– HAS com lesão em órgão-alvo: HAS com lesão em órgão-alvo (coração, retina, rim, encéfalo, vasos)

– HAS associada à comorbidade: HAS em indivíduo com obesidade, cardiopatia hipertensiva (hipertrófica ou dilatada), apneia obstrutiva do sono, hiperlipidemia ou outra

– Insuficiência cardíaca (IC): IC estágios B, C ou D

– Cor pulmonale e Hipertensão pulmonar (HAP): diagnóstico de cor pulmonale crônico e HAP primária ou secundária

– Doença Arterial Coronariana (DAC): diagnóstico de DAC sem ou com complicações (exemplo: IAM)

– Valvulopatias cardíacas: lesões valvares com repercussão hemodinâmica, miocárdica ou com sintomas

– Prótese valvar: portador de prótese valvar biológica ou mecânica

– Miocardiopatias e Pericardiopatias: Miocardiopatia de qualquer etiologia, Pericardite crônica, Cardiopatia reumática

– Doenças de grandes vasos e fístulas arteriovenosas: aneurismas, dissecções ou hematomas de aorta ou demais grandes vasos

– Arritmias Cardíacas: arritmia com relevância clínica (que exija tratamento) ou associada à cardiopatia

– Cardiopatia Congênita no adulto: cardiopatia congênita associada à: repercussão hemodinâmica, hipoxemia, IC, arritmia ou comprometimento miocárdico

– Doença Cerebrovascular: AVE ou AIT prévio, Demência vascular

– Doença Renal Crônica (DRC): DRC estágio 3 ou 4 (TGF<60ml/min/1,73m²) e/ou Sínd. Nefrótica

– Imunossupressão: transplantados em uso de imunossupressor, pessoas vivendo com HIV, imunodeficiências primárias, necessidade de uso crônico de corticoide em dose de Prednisona >10mg/dia (ou equivalente), pulsoterapia com corticoide ou ciclofosfamida

– Câncer: pacientes oncológicos com tratamento quimio ou radioterápicos atual ou nos últimos 6 meses ou portadores de neoplasias hematológicas

– Hemoglobinopatias graves: diagnóstico de anemia falciforme ou talassemia maior

– Obesidade grau 3: Índice de Massa Corporal ≥40kg/m²

– Cirrose Hepática: diagnóstico de cirrose hepática em qualquer estágio

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.