Internações por coronavírus diminuem em Pelotas

De acordo com dados registrados pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), desde a segunda quinzena de maio de  2021, o número de internações decorrentes da infecção pelo coronavírus, em Pelotas, está apresentando queda gradativa.

Enquanto em 15 de junho, 184 pessoas ocupavam vagas de Enfermaria, Ventilação Mecânica (VM) e UTI, nesta quinta-feira (22), a quantidade baixou e chegou a 84. Esse resultado positivo é fruto do avanço do processo de vacinação organizado pela Prefeitura. No entanto, é essencial lembrar que esse não é momento para descuidos: as medidas preventivas devem continuar adotadas e os protocolos de higiene precisam ser seguidos por toda a população.

O mês que apresentou pico de internações foi junho, conforme detalhou a enfermeira da Vigilância Epidemiológica da SMS, Cândida Rodrigues, com números que ultrapassaram 180. Agora, os registros estão, gradativamente, se aproximando de 80. Além disso, desde o dia 15 de julho, não houve notificação de pacientes aguardando por leitos de UTI; o máximo foi de 16 pessoas em fila de espera. A profissional lembra, ainda, que esses dados são referentes ao período em que o Painel Covid-19 entrou no ar. Sendo assim, tudo está disponível no sistema da Prefeitura. 

Mesmo com essa importante redução do número de casos, internações e óbitos, é preciso ter cautela ao olhar para esses dados, já que a pandemia não acabou. Apesar do cenário de diminuição ser realidade na cidade, ainda é cedo para afirmar que existe estabilidade. “Estamos vivendo um período mais tranquilo, de menos internações, provavelmente em decorrência da vacinação. Mas, mesmo assim, precisamos estar atentos, pois existem novas variantes do vírus e devemos manter as medidas de prevenção”, explicou a secretária de Saúde, Roberta Paganini.

“As medidas sanitárias e de bloqueio precisam ser mantidas. Precisamos usar máscara, evitar aglomerações, atentar aos sintomas e manter isolamento quando necessário. Ainda temos grande parte da população sem esquema de vacina completo e outra parte ainda não vacinada. Desta forma, todo cuidado é necessário para que esses dados positivos se tornem a nossa realidade”, completou a enfermeira Cândida. 

Jovens são os mais infectados atualmente

Outro dado da Vigilância Epidemiológica da SMS, que diz respeito à situação da Covid-19 no Município, aponta que as pessoas mais jovens, com idades entre 20 e 34 anos, estão sendo o principal alvo do vírus. O motivo, segundo a professora de Infectologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e investigadora principal da CoronaVac em Pelotas, Danise Senna, é o fato de que esse público ainda não está imunizado contra o vírus. “Isso era esperado. Com o aumento da cobertura vacinal, nesse grupo, a situação deve ser revertida”, frisou.

Danise também destaca que a queda do número de internações é o objetivo esperado com o aumento da cobertura vacinal na população local. Porém, ela também reforça a ideia que os cuidados e medidas ainda são necessários, enquanto todos não estiverem completamente imunizados (com duas doses, dependendo do tipo de vacina). Vale ressaltar que ainda é desconhecida a duração da proteção dessa imunização e ainda se está aprendendo sobre a evolução genética do vírus e suas respectivas variantes.

Dias sem registros de óbitos

Nessa quarta-feira (21), Pelotas não registrou mortes em decorrência da doença. O último Boletim Coronavírus, que foi substituído pelo Painel Covid-19, sem óbitos, foi divulgado no dia 16 de maio.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.