Bolsonaro diz que será preso, morto ou terá êxito (vídeo)

Jair Bolsonaro afirmou, neste sábado (28/08), que existem três alternativas para seu futuro: ser preso, morto ou ter a vitória. 

A declaração ocorreu no 1° Encontro Fraternal de Líderes Evangélicos da Convenção Estadual das Assembleias de Deus Madureira (Conemad), em Goiânia.

1 thought on “Bolsonaro diz que será preso, morto ou terá êxito (vídeo)

  1. Desde o início do seu mandato, Bolsonaro teve tudo para realizar um bom governo. Tinha o apoio do mercado e de grande parte da mídia; tinha maioria na Câmara e no Senado; apoio de artistas, personalidades do mundo da música, da televisão e do esporte e celebridades das redes sociais; apoio da maioria das igrejas especialmente as neopentecostais, das FFAA, e a admiração de cerca de 60% da população,

    Com todo esse suporte, o mandatário da nação poderia ter realizado até aqui – no mínimo -, um bom governo.

    Mas ao invés de vestir a camisa de presidente e governar para todos os brasileiros, Bolsonaro permaneceu – desde o início -, travestido de candidato como se em campanha ainda estivesse, e governou até aqui tão somente para sua claque que diariamente se espremem nos “cercadinhos” da vida todas as manhãs para saudarem seu “mito”.

    Muitos que apoiaram e financiaram a ascensão de Bolsonaro ao poder percebem agora que o tal “mito”, na prática, não passa de um político despreparado, fraco e inseguro. Para esses que hoje se sentem desapontados, Bolsonaro foi uma grande decepção.

    Não por acaso, os maiores jornais do país – O Globo, o Estado de S. Paulo e a Folha de S. Paulo -, em editoriais recentes e incisivos, fazem duras críticas ao governo Bolsonaro, e dão o tom do que sucederá ao Brasil se o “capitão” se perpetuar no poder.

    Febraban e Fiesp já ensaiam um manifesto para depois de 7 de setembro pedindo a pacificação entre os Poderes diante das ameaças de ruptura democrática, que se tornaram frequentes nos últimos dias.

    A história recente nos mostra que quando empresários e banqueiros começam a reagir em face de um cenário político adverso à economia, é o começo do fim do governo de plantão!

    A cada dia que passa, é cada vez maior a rejeição do povo ao mandatário da nação. É o que mostram todas as recentes pesquisas de intenção de votos para 2022.

    E o culpado por essa crescente rejeição ao presidente da República não é outro, senão ele mesmo.

    Se não conseguir reverter esse panorama econômico de incertezas, que dificulta sobremodo a retoma do crescimento, bem como o cenário político conturbado e sombrio em que se acha mergulhado o país, dificilmente Bolsonaro logrará algum êxito no pleito eleitoral que se avizinha.

    E certamente será lembrado como o presidente que podia ter sido, mas não foi; podia ter feito, mas não fez.

    Está fadado a um destino inglório.

    E não se pense que se diz isso aqui com alegria.

    É lamentável. Profundamente lamentável e triste.

    Presidentes passam. Fica o povo e a nação.

    Com suas dores e alegrias e sua laboriosa luta cotidiana.

    Outros presidentes virão.

    Que o país volte a crescer, e o povo volte a sorrir.

    É o que se deseja neste momento difícil pelo qual passa a nação.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.