Connect with us
https://www.mvpthemes.com/zoxnews/wp-content/uploads/2017/07/zox-leader.png

Publicado

on

Em edição de HQ, o novo Super-homem assume relacionamento homossexual. Isso mesmo! O super-homem, filho do Super-Homem, é Jonathan Kent. Ele assume também o posto de herói.

A DC Comics informou nesta segunda-feira (11) que o filho de Clark Kent e Lois Lane (Jonathan) vai se envolver afetivamente com um amigo na HQ “Superman: Son of Kal-El #5” (Superman: filho de Kal-El).

Jonathan e Jay Nakamura, um ativista hacker, vão até se beijar na boca.

Jonathan Kent e Jay Nakamura Foto: Reprodução

A série de quadrinhos, lançada em julho nos EUA, mostra a vida do jovem de 17 anos.

Em entrevista ao New York Times, o escritor da série em quadrinhos, Tom Taylor, disse que “a ideia de substituir Clark Kent por outro salvador puramente branco parecia uma oportunidade perdida”.

“Um novo Superman tinha que ter novas lutas — problemas do mundo real — que ele pudesse enfrentar como uma das pessoas mais poderosas do mundo”.

Na série, Jonathan e Jay Nakamura se conheceram enquanto o novo Superman tentava estabelecer uma identidade secreta e frequentar o ensino médio. Jay, um jornalista iniciante, conheceu os pais de Jon e ficou impressionado com Lois Lane.

O primeiro beijo entre super-homem e Jay vai acontecer na quinta edição da série, publicada no próximo mês. Além disso, os leitores descobrirão que Jay tem habilidades especiais.

Do jeito que a coisa vai, o próximo a sair do armário é o Hulk.

Hulk

Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.

Cultura & entretenimento

Bolsonaro e os “veados”

Se o cara usava boné de lã com estampa xadrez Escócia, era veado

Publicado

on

Bolsonaro me lembra um amigo que se foi. Dizia disparates o tempo todo, alguns chocantes. Para gostar dele, tinha-se de ser complacente. Como Bolsonaro, tinha fixação no tema sexual.

Não precisava muito para classificar homens como “veados”.

Se o cara usava boné de lã com estampa xadrez Escócia, era Veado. Poncho para trás do pescoço? Veado. Se chorava, era veado. Gosta de filmes da Nouvelle Vague? Claro que é Veado! Passa postando fotos de si mesmo abraçado com o cachorro peludo? Só não vê quem não quer… Veado!!!

A impressão era de que só ele era “homem”. Não era ruim, e podia ser engraçado, só era fruto de outra época.

Como não era presidente da República, a gente relevava, porque, no meio da loucura, tinha mais pontos positivos. Quando morreu, chorei por ele.

Por Bolsonaro, não choro.

É o homem mais estúpido em comando que vi na vida.

Para Bolsonaro, com esse poncho pra trás, Clint Eastwood seria gay

Continue Reading

Cultura & entretenimento

Museu Diários do Isolamento lança exposição “Bordando Memórias”

A exposição tem como mote as atividades do grupo de bordadeiras “Doces Linhas”

Publicado

on

Nesta quinta-feira (28), às 19h, o Museu Diários do Isolamento (MuDI), da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), abrirá ao público a exposição “Bordando Memórias: Doces Linhas na pandemia”, uma parceria com o projeto de extensão Bordados e Memórias no Museu do Doce – Grupo Doce Linhas.

A exposição tem como mote as atividades do grupo de bordadeiras “Doces Linhas” como forma de superar o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19.

O grupo de bordadeiras “Doces Linhas” teve início no ano de 2017, a partir de uma disciplina sobre o bordado oferecida pela Universidade Aberta à Terceira Idade (UNATI), projeto de extensão da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PREC/UFPel). A disciplina intitulada “Bordaduras – a vida bordada” transformou-se em um projeto de extensão realizado no Museu do Doce, e passou a chamar-se “Doces Linhas: Bordados no Museu do Doce”. Esse projeto reúne um grupo de mulheres, que uma vez por semana se encontravam no Museu para desenvolver os seus trabalhos de bordado. Com a pandemia, os encontros deixaram de ser presenciais, mas o grupo continuou a se encontrar de forma virtual e encontrou nessa atividade uma forma de superar o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19.

Na exposição o público vai conhecer o histórico do grupo, as pessoas que o compõem e as ações de solidariedade desenvolvidas antes e durante a pandemia. O acesso será pelo site do MuDI.

Continue Reading

Cultura & entretenimento

O tema da vida

Publicado

on

“Não precisei ir aos livros para saber que o tema da vida é conflito e dor. Instintivamente, todas as minhas bufonadas se baseavam nisso: colocar as criaturas em dificuldades e fazê-las sair delas”.

Charles Chaplin.

Chaplin em Ombro, Armas

Continue Reading

Em alta