Connect with us
https://www.mvpthemes.com/zoxnews/wp-content/uploads/2017/07/zox-leader.png

Pelotas & RS

CENTRO PRECISA MUDAR PARA ATRAIR PASSEIO DOS DOMINGOS

Os pelotenses e visitantes têm preferido fazer outros passeios nesse dia, que não percorrer o Centro da cidade

Publicado

on

As ruas do Centro de Pelotas estiveram vazias neste domingo. Na verdade, o vazio foi geral na cidade, certamente na maioria dos pontos. O foco deste post é o comércio, porém.

Poucas lojas abriram neste que foi o primeiro domingo de estabelecimentos abertos, depois que começou a pandemia de covid-19 e os protocolos sanitários passaram a vigorar.

O presidente do Sindilojas, Renzo Antonioli, que esperava aumento no movimento, fala em três razões para o sumiço dos consumidores.

1. Pelotenses se desacostumaram da abertura do comércio nos domingos;

2. O tempo – nublado, instável;

3. As grandes lojas de eletroeletrônicos, segundo ele, têm boicotado a abertura do comércio nos domingos.

Antonioli espera que, em função do Dia da Criança, amanhã, 12, as vendas aumentem nesta segunda, 11.

***

Creio que mais alguns motivos devam ser considerados na avaliação.

Pode ser que, dependendo da loja, as vendas não estejam de fato compensando o custo com funcionários no domingo, pelos quais os comerciantes pagam bônus. No conjunto, contudo, o provável é que isso conte pouco.

Como o País soma mais de 14 milhões de desempregados, devido à pandemia e aos seus efeitos sobre a renda, a falta de dinheiro certamente tem um peso forte.

Um ponto – essencial na explicação – costuma passar batido nas análises: o crescimento do e-commerce. A expansão, que naturalmente já ocorria, ganhou impulso por conta da pandemia. Principalmente lojas como de eletrodomésticos, que, todas elas, vendem por site.

“Quarta onda: a morte das lojas de rua”. Por Fabiano de Marco

Outra explicação para o vazio é o fato de os pelotenses terem perdido ânimo de vir ao centro domingo, sobretudo após a chegada do Shopping e de seus confortos. Eis um ponto a ser pesquisado, talvez pelo próprio Sindilojas.

Aparentemente precisaria fazer um trabalho de “recuperação do Centro” como ponto de atração de consumidores aos domingos, e esperar resultado no médio prazo. Pelo que se nota, os pelotenses têm preferido outros passeios nesse dia, que não percorrer o Centro. Criar algo talvez envolvendo passeio, como mesas nas ruas para tomar café.

Imaginar que as pessoas venham ao Centro só para comprar vai demorar para “pegar”, se pegar, pelo conjunto dos fatores elencados, sobretudo agora, que as pessoas estão sem dinheiro.

As pessoas gostam de passear no domingo, daí a ideia de criar algo para atrair passeio; assim, o cliente aproveita e compra. O Centro, hoje, não está arrumado para passeio de domingo.

Na Feira do Livro, por exemplo, é justamente nos domingos e feriados que sempre ocorrem as maiores vendas. Feira = passeio.

1 Comment

1 Comment

  1. Rafarl Lopes

    12/10/21 at 20:24

    Antonioli que me desculpe, argumentos para baixo movimento não me convence. Empresários de Pelotas necessitam quebrar muitos paradigmas e rápido. Recebi relatos de parentes que moram em Pelotas, praia, Baronesa e outros locais de costume lotados… menos o centro. Hoje, em passeio em Canoas (moro em Cachoeirinha), eram 9 excursões de Pelotas, 1 de Turuçu, 1 de Canguçu e 1 de São Lourenço. E o comércio de Pelotas fechado, fazendo turistas para outras cidades, projeto para mudar economia da cidade com turismo, seu principal eixo, parece estar sendo contrário. Fazendo turista e não sabe receber turistas. Finais de semana que vou a cidade sempre fechado de museus a comercio do mercado.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.

Pelotas & RS

Faculdade de Odontologia da UFPel inaugura Memorial

Publicado

on

Dando sequência às atividades comemorativas dos 110 anos da Faculdade de Odontologia (FO) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), ocorrerá nesta terça-feira (19), às 14h, a inauguração do Memorial da Faculdade de Odontologia. O espaço conta com objetos e documentos que fazem parte da história do curso.

A FO completou 110 anos no dia 21 de setembro de 2021 e, dentro das comemorações, criou a Associação dos Apoiadores e Egressos da Odontologia (AApEgO-UFPel) para dar suporte às atividades da Unidade. Além disso, um livro sobre a história da Faculdade está sendo organizado e será lançado em breve. A pesquisa para a elaboração do livro realizada pelo professor Luis Rubira e pela bolsista do projeto e doutoranda em História, Elisiane Medeiros, deu origem ao Memorial que foi aprovado em reunião do Conselho Departamental da Faculdade.

De acordo com o diretor da FO, Evandro Piva, será o primeiro memorial de curso da UFPel. “Transformamos a antiga sala dos Conselhos no Memorial da Odonto. Centralizamos objetos e documentos que estavam espalhados pela Faculdade e recebemos alguns itens de doações da comunidade”, explicou. De acordo com Piva, o próximo passo é buscar parcerias com outros cursos da UFPel para qualificar o espaço e conservar os objetos e documentos que foram recuperados.

AAeEgO-UFPel

De acordo com a professora aposentada da FO, Marcia Bueno, a ideia da criação da Associação já era antiga. “Sempre recebemos o contato de pessoas que valorizam a Faculdade e querem ajudar de alguma forma nas atividades. Então já tínhamos a ideia criar um espaço para reunir essas pessoas e conseguir ajudar a Faculdade nos momentos em que a Instituição não poderia contribuir com recursos”, explicou.

A Associação dos Apoiadores e Egressos da Odontologia foi fundada em março de 2021 com o objetivo de reunir e agregar apoiadores e egressos da FO, defender o ensino público e gratuito, apoiar financeiramente a Faculdade, fomentar projetos de pesquisa, ensino, desenvolvimento de tecnologia, extensão e assistência e promover melhorias no espaço físico da Unidade.

O Livro

O livro busca narrar por meio de imagens e textos a história da FO ao longo de seus 110 anos. A publicação  está prevista para dezembro. A ideia de elaboração de um livro contando a história da Faculdade surgiu no seu centenário, em 2011. Contudo, naquele momento não foi possível dar sequência ao projeto.

Em 2010, o professor da Faculdade de Filosofia, Luis Rubira, passou a ministrar a disciplina de Bioética na FO e entre as atividades que foram solicitadas aos estudantes estava a busca pela história da Unidade. “Sabendo que a Odonto, além da formação técnica e científica de seus alunos tivera uma forte cena artística e cultural, sobretudo a partir da década de 1960, sob o nome de Odontoarte, resolvi estimular os alunos a resgatar parte desta história”, explicou.

Desta forma, em 2018 foi criado um projeto de ensino no qual os alunos entrevistaram alguns docentes e egressos da Faculdade. “O resultado foi surpreendente, pois surgiram novas histórias ligadas à Instituição. Apresentei estes resultados para a então diretora da Faculdade, professora Adriana Etges, que prontamente convidou-me para elaborar um livro contendo a história da Faculdade de Odontologia”, disse Rubira.

A pesquisa para a elaboração do livro iniciou em 2021, com o apoio da AApEgO-UFPel. A bolsista Elisiane Medeiros ficou durante quatro meses analisando documentos e fontes ligadas à Instituição e o professor Luis Rubira passou a realizar investigações de caráter histórico e iconográfico.

Entre os achados, Rubira destaca o mapeamento e resgate de imagens e documentos dos prédios pelos quais a Faculdade de Odontologia passou antes de instalar-se no prédio atual. “Outra novidade é que o atual prédio, construído na década de 1950, foi o primeiro edifício na região Centro/Porto, bem antes dos próprios prédios que surgiram no entorno da Praça Coronel Pedro Osório nas décadas seguintes”, revelou.

A comunidade ainda pode contribuir com a elaboração do livro enviando fotos e histórias sobre a Faculdade para o email: luisrubira.filosofia@gmail.com

Continue Reading

Pelotas & RS

HemoPel necessita de todos os tipos de sangue com urgência

Publicado

on

A Prefeitura alerta que o Hemocentro Regional de Pelotas (HemoPel) está com os estoques de todos os tipos de sangue em situação crítica. Por isso, são necessárias doações com urgência. Desde o início da pandemia, a equipe da unidade toma todas as medidas de higiene para que os doadores estejam seguros. A higienização é feita a cada atendimento e todos – doadores e equipe – usam máscara durante a permanência no local.

Localizado na avenida Bento Gonçalves, 4.569, o HemoPel é responsável pelo abastecimento dos hospitais São Francisco de Paula e Beneficência Portuguesa, além do Pronto Socorro de Pelotas (PSP) e outros 24 municípios da região Sul e Campanha. Para pessoas com dificuldades de chegar ao local, o HemoPel oferece carona.

O transporte está disponível a uma quantidade entre seis e 12 moradores de Pelotas. Para municípios vizinhos, a condução é disponibilizada a até 12 pessoas. Independentemente da carona, grupos podem ser agendados previamente pelo telefone (53) 3222-3002 ou pelo WhatsApp (53) 98156-1209, para que a equipe se prepare e o tempo de espera não seja grande.

Quem pode doar

Pessoas saudáveis, sem sintomas gripais, que não tiveram contato com suspeitos ou confirmados para Covid-19, estão aptas à doação. Quem teve a doença pode doar 30 dias após ser considerado curado. Depois das vacinas, é preciso esperar alguns dias. Nos casos da imunização contra gripe e da CoronaVac, é possível doar depois de dois dias. Para as demais vacinas contra a Covid-19, são necessários sete dias de intervalo.

Regras gerais para doação: 

* ter de 16 a 69 anos (desde que a primeira doação tenha sido até os 60 anos); adolescentes (16 e 17 anos) precisam ter autorização dos responsáveis legais;

* pesar no mínimo 50 quilos.

Como proceder

O candidato a doador deve procurar o HemoPel portando documento de identidade com foto. No dia da doação, precisa estar alimentado, ter dormido pelo menos seis horas na noite anterior, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, e evitar fumar uma hora antes. Homens podem doar a cada dois meses, no máximo quatro vezes por ano. Mulheres, a cada três meses, até três doações anuais.

Continue Reading

Pandemia

Covid: Pelotas registra dois mortos e 61 infectados nas últimas 24h

Publicado

on

Pelotas registrou mais duas mortes por covid-19 nesta segunda, 18, segundo o Painel Covid, da prefeitura. Pacientes de 72 e 89 anos.

Além disso, 61 pessoas testaram positivo para o vírus. 56 dos internados são de Pelotas, 20 de outros municípios.

Neste momento, 76 pessoas estão internadas (64,4% de ocupação de leitos).

20 em UTI, 60,6% de ocupação.

56 em enfermaria, 65,9% de ocupação.

Até hoje 47.363 pessoas testaram positivo para covid. E 1.166 perderam a vida.

Continue Reading

Em alta