Connect with us

Pandemia

Vacinação contra Covid-19 chega para jovens de 14 anos ou mais

As aplicações serão realizadas no sábado (23), no drive-thru do Centro de Eventos e na Escola Estadual Coronel Pedro Osório

Publicado

on

A faixa etária de pessoas que poderão se vacinar contra a Covid-19 foi ampliada mais uma vez. Jovens de 14 anos ou mais estão aptos a iniciar o esquema vacinal, de acordo com o novo cronograma divulgado pela Prefeitura nesta quarta-feira (20).

Os imunizantes estarão disponíveis para esse grupo no sábado (23), no drive-thru do Centro de Eventos e na Escola Estadual Coronel Pedro Osório, localizada no Centro e, a partir de segunda-feira (25), nos pontos fixos de vacinação nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), com exceção das unidades sentinela (UBSs Salgado Filho, PAM Fragata e CSU Cruzeiro), que atendem a síndromes gripais, no Laboratório Municipal e no Shopping Pelotas. 

Confira a programação deste sábado

Drive-thru – Centro de Eventos das 9 às 17h

– Sábado (23) – 1ª dose para pessoas com 14 anos ou mais 

Escola Estadual Coronel Pedro Osório – das 10 às 15h

– Sábado (23) – 1ª dose para pessoas com 14 anos ou mais e 3ª dose Idosos com 60 anos

Publicidade

Pontos Fixos 1ª dose

Para jovens de 14 a 17 anos, será utilizado o imunizante Pfizer. As demais faixas etárias será a vacina que estiver disponível.

– De segunda a sexta-feira

* Em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) – das 8h30min às 11h – exceto as unidades sentinela (UBSs Salgado Filho, PAM Fragata e CSU Cruzeiro)

* No Laboratório Municipal – das 13h30min às 17h

* No Shopping Pelotas, loja 40, das 17 às 21h

Documentação necessária

– Documento de identidade;

– CPF ou Cartão SUS;

Publicidade

– comprovante de residência ou declaração de moradia assinado pelo proprietário; e,

– declaração assinada pelos pais ou responsável legal autorizando que o jovem receba a imunização.  

Declaração dos pais ou responsável legal

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que todos os jovens deverão apresentar a declaração que autoriza a imunização e, preferencialmente, devem comparecer com os pais ou responsável legal. Aqueles que não estiverem acompanhados, obrigatoriamente, deverão apresentar o documento preenchido e assinado. Assim como o comprovante de vacinação, a autorização também está disponível nos pontos de aplicação e, ainda, poderá ser acessada no site do coronavírus para impressão.

Informações da SMS

A SMS esclarece que, como regra geral, todas as vacinas recomendadas no Calendário Nacional de Vacinação podem ser aplicadas no mesmo dia. Sendo assim, não é mais preciso aguardar o intervalo mínimo de 14 dias entre a aplicação do imunizante contra a Covid-19 e qualquer outro do calendário.

Importante relembrar que continua a orientação às pessoas que apresentarem sintomas gripais de não comparecer na data marcada. O mesmo vale para quem tiver positivado para o coronavírus. É necessário aguardar 30 dias do início dos sintomas para receber a aplicação.

Publicidade
Publicidade
Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor.

Especial

Rio Grande do Sul confirma caso de infecção pela variante Ômicron

A paciente está em isolamento domiciliar

Publicado

on

A Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul confirmou nesta sexta-feira (3) um caso de infecção pela nova variante Ômicron.

De acordo com a pasta, a mulher, residente em Santa Cruz do Sul, voltou de viagem à África do Sul na semana passada. Ela já havia tomado as duas doses da vacina e apresentou febre.

A paciente está em isolamento domiciliar e é acompanhada pela vigilância em saúde do município. Pessoas próximas a ela também serão testadas.

Diante da confirmação da nova variante no estado, a secretaria reforçou a necessidade de as pessoas investirem, cada vez mais, em cuidados básicos, sobretudo o uso de máscara e o distanciamento adequado.

A orientação é que quem ainda não se vacinou ou esteja com alguma dose pendente procure as unidades de saúde para atualizar a situação.

Dados da pasta mostram que, até esta sexta-feira, 842 mil pessoas no Rio Grande do Sul estavam com a segunda dose em atraso e 721 mil com a dose de reforço atrasada.

Outros casos

Além do caso no Rio Grande do Sul, o Ministério da Saúde já confirmou cinco casos de infecção pela variante Ômicron no país, sendo três em São Paulo e dois no Distrito Federal. Os pacientes estão isolados e a maioria está assintomática.

Publicidade

Continue Reading

Brasil & Mundo

Covid-19: Anvisa inclui eventos adversos graves em bula de medicamento

Problemas foram detectados no tratamento de pacientes com artrite

Publicado

on

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou nesta sexta-feira (3) a inclusão de eventos adversos graves na bula do medicamento Olumiant (baricitinibe), da empresa Eli Lily do Brasil.

Segundo a Anvisa, a alteração na bula inclui a adição da advertência de precaução para ocorrência de eventos cardiovasculares adversos maiores e a atualização sobre a ocorrência de tromboembolismo venoso e malignidade, incluindo linfoma.

De acordo com a agência, os eventos adversos foram identificados com base em estudo clínico e em estudo de coorte retrospectivo que avaliou pacientes em tratamento para artrite reumatoide.

“Os prescritores devem considerar esses dados ao avaliar os benefícios e os riscos do tratamento com baricitinibe para cada paciente”, destacou.

Continue Reading

Brasil & Mundo

STF suspende julgamento que proíbe demissão de não vacinados

A análise da portaria foi iniciada ontem em plenário virtual

Publicado

on

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu o julgamento da decisão que suspende a vigência de dispositivos da Portaria 620 do Ministério do Trabalho, que proibiu a demissão do trabalhador que não tiver tomado vacina contra a covid-19. A análise foi iniciada ontem (2) e estava prevista para durar uma semana no plenário virtual.

No dia 12 de novembro, o ministro Luís Roberto Barroso, relator do caso, atendeu ao pedido feito por partidos de oposição e suspendeu o dispositivo que proibia a exigência de comprovante de vacinação na contratação ou para continuidade do vínculo de emprego. Além disso, também ficou suspensa a parte da norma que considerou prática discriminatória a solicitação do cartão de vacinação e a demissão por justa causa pela falta do documento.

O caso foi levado para julgamento no plenário virtual, modalidade na qual os ministros depositam os votos eletronicamente, sem necessidade de reunião presencial. Após o relator e os ministros Alexandre de Morares, Edson Fachin e Cármen Lúcia votarem a favor da suspensão, o ministro Nunes Marques pediu destaque do processo, e o julgamento prosseguirá no plenário presencial. A data da retomada não foi definida.

Antes da decisão do Supremo, a norma do Ministério do Trabalho considerava que constitui “prática discriminatória a obrigatoriedade de certificado de vacinação em processos seletivos de admissão de trabalhadores, assim como a demissão por justa causa de empregado em razão da não apresentação de certificado de vacinação”.

Continue Reading



Publicidade
Publicidade

Mais lidas em três dias