Connect with us

Pelotas e RS

Moinhos de Vento desenvolve tratamento inovador para câncer de próstata

Com descoberta precoce e técnicas adequadas ao perfil do paciente, chances de cura chegam a 90%

Publicado

on

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanona, conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Em valores absolutos e considerando ambos os sexos, é o segundo tipo mais comum. No mês do Novembro Azul – movimento que objetiva chamar a atenção para a prevenção e o diagnóstico precoce de doenças que atingem a população masculina —, o Hospital Moinhos de Vento, mais uma vez, se destaca no cenário nacional e internacional com tratamentos inovadores e que buscam atacar a doença com técnicas modernas, menos invasivas e indolores.

De acordo com o coordenador do Núcleo de Medicina Robótica, André Berger, hoje o câncer de próstata é o primeiro de órgão sólido entre os homens e atinge 65 mil brasileiros por ano. “Mas conseguimos chegar a um índice de 90% de cura, se o tumor for detectado precocemente e localizado”, esclarece. Para um diagnóstico mais preciso, são utilizadas técnicas mais antigas, combinadas a mais modernas. “Além do exame de sangue (PSA) e o exame de toque retal, utilizamos a ressonância magnética para orientar o diagnóstico”, explica.

O chefe do Serviço de Urologia, Eduardo Carvalhal, observa que, infelizmente, ainda existe uma resistência muito grande com a realização dos exames de diagnóstico, especialmente o toque retal. “Muitos acham que pode afetar a masculinidade, mas não há risco algum. É apenas um exame médico completo e fundamental”, esclarece, destacando que, para combater a doença, é preciso superar preconceitos.

Lutécio

Tratamentos cada vez mais modernos e minimamente invasivos entram em cena. Dentro do conceito de medicina de precisão está uma terapia com o radiofármaco Lutécio 177-PSMA. Estudos publicados neste ano na revista Lancet e The New England Journal of Medicine apontaram que a alternativa com o radiofármaco é mais eficaz em homens com neoplasia de próstata avançada.

O lutécio é um isótopo radioativo que é carregado pela PSMA (uma proteína localizada na membrana das células cancerosas prostáticas) até o câncer de próstata. Por ser injetável e se espalhar pelo corpo pela corrente sanguínea, ele consegue chegar a qualquer lugar onde exista o tumor e suas metástases. Sua ação consiste em matar células malignas com radiação beta, preservando as sadias ao redor.

De acordo com Carvalhal, a terapia é uma nova “arma” contra a doença, pois pode regredir o câncer e aumentar a sobrevida do paciente. “Em alguns casos, as lesões metastáticas retrocedem de forma significativa”, observa o urologista. A medicação é administrada de forma intravenosa, a cada 6-8 semanas, em um máximo de seis ciclos. Exames laboratoriais e de imagem regulares são necessários para a avaliação da resposta ao tratamento.

Publicidade

Protocolos de recuperação inéditos

Um estudo inédito desenvolvido no Núcleo de Medicina Robótica demonstrou a preservação da qualidade de vida de pacientes e a diminuição de infecções, após reduzir o tempo de uso da sonda pós-operatória. A retirada ocorreu em menos de 24h, sendo possível ir para a casa sem a sonda vesical. A prática tradicional deixa o dispositivo no pênis do paciente pelo período de sete a dez dias, o que provocava dor, desconforto e até mesmo sangramento durante a recuperação. “Em uma série de 21 pacientes, no ano de 2020, conseguimos ter sucesso em 20. Apenas um precisou ter a sonda recolocada, o que ocorreu sem intercorrências, antes da alta hospitalar ”, pontua Berger, idealizador do estudo. Ele pondera que o desconforto da sonda está entre as principais queixas dos pacientes.

O procedimento faz parte do protocolo de recuperação rápida pós-cirúrgica, que inclui a eliminação do uso de opióides — medicamentos que atuam no sistema nervoso para aliviar a dor — , além de medicações que relaxam a bexiga e estimulam o retorno da função intestinal. Os resultados desse trabalho foram divulgados no British Journal of Urology, um dos periódicos científicos especializados mais relevantes do mundo.

Cirurgia Robótica

Diferente da cirurgia convencional, a robótica proporciona menos agressão ao paciente. Com cortes menores, o volume de sangramento é mínimo e a recuperação é mais rápida. O uso de robôs na cirurgia de retirada de tumor de próstata facilita a visualização da área a ser operada pelos médicos, que utilizam instrumentos pequenos e com grande flexibilidade. “Desta forma, tanto o controle oncológico do câncer de próstata como a preservação funcional das ereções e do controle urinário ficam muito melhores nos pacientes que são submetidos à cirurgia robótica”, comenta Berger. A técnica faz com que a equipe tenha uma das mais altas taxas do mundo de sucesso e preservação da função urinária e sexual do paciente. A retirada completa do tumor é possível em cerca de 90% dos casos.

Tratamento e prevenção

Existe um consenso que, a partir dos 50 anos, homens devem procurar o seu médico para uma conversa sobre rastreamento através de exame do PSA e toque retal. Para homens com história familiar de câncer de próstata, mama, pâncreas ou intestino, o ideal é a partir dos 40 anos. Afrodescendentes também devem procurar um especialista aos 40 anos. “O melhor caminho é a informação. A chance de cura é alta e temos várias alternativas de tratamento. O segredo está no diagnóstico precoce e em uma estratégia personalizada de tratamento”, constata Carvalhal.

Publicidade

Além da área assistencial, o hospital também foca na educação e na pesquisa. O Centro de Pesquisa do hospital tem cerca de 15 protocolos de pesquisa ativos ou a serem ativados, específicos  para o câncer de próstata. Na área educacional, destaque para o Curso de Certificação em Cirurgia Robótica Urológica , além de projetos para estudantes e residentes, com o propósito de difundir as melhores técnicas. “Estamos sempre em busca de novas alternativas para nossos pacientes. Nosso mantra é a inovação”, conclui Berger.

Novembro Azul

O movimento Novembro Azul teve origem em 2003, na Austrália, com o objetivo de chamar a atenção para a prevenção e o diagnóstico precoce de doenças que atingem a população masculina. No Hospital Moinhos de Vento, a data será marcada por atividades. Confira a programação:

●          5/11: Cirurgias ao vivo (robótica para câncer de próstata e Urolift para hiperplasia) intercaladas por aulas de equipe multidisciplinar.

●          8/11: Masterclass Atualização em Câncer de Próstata Resistente à Castração Não Metastático. A palestra ficará a cargo da médica oncologista Manuela Zereu com moderação do urologista Gustavo Carvalhal.

●          21/11: POA DAY RUN – Corrida de rua comemorativa do Novembro Azul.

●          22/11: Atualização do Câncer de Próstata Resistente à Castração Metastático – com o médico oncologista e Head de Pesquisa Clínica, Pedro Isaacsson Velho, e moderação do chefe do Serviço de Medicina Nuclear, Gabriel Grossman.

Publicidade

●          23/11: Saúde do Homem – Mitos e verdades – Atividade coordenada pelo chefe do Serviço de Urologia, Eduardo Carvalhal, e pelo coordenador do Núcleo de Medicina Robótica, André Berger.

                Outras informações, programação dos eventos e inscrições estão disponíveis no site do hospital.

Câncer de próstata

Segundo tipo de câncer mais comum entre os homens, pode ser assintomático ou apresentar sintomas urinários (aumento da frequência urinária, sangramento, urgência e incontinência), ou, em estado avançado, ocasionar dores ósseas. Entre as formas de diagnóstico estão a biópsia com fusão de imagens da ressonância magnética e o PET-CT com PSMA.

A idade é um fator de risco importante, uma vez que tanto a incidência quanto a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos. Destaque também para fatores genéticos (hereditários) quanto hábitos alimentares ou estilo de vida. Além disso, o excesso de gordura corporal aumenta o risco de câncer de próstata avançado.

Publicidade
Publicidade
Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor.

Pelotas e RS

Pelotas terá bloqueio de ruas neste sábado

Publicado

on

Neste sábado (29), a partir das 9h, algumas ruas serão fechadas em Pelotas, no entorno do Estádio Bento Freitas, devido ao jogo entre os times Xavante e Grêmio.

Agentes de Trânsito estarão nos pontos, orientando os motoristas, junto ao efetivo da Brigada Militar. A previsão é que o bloqueio se estenda até as 21h.

A avenida Presidente Juscelino Kubitschek funcionará em meia-pista, entre as ruas General Neto e Barão de Butuí.

Os trechos que serão bloqueados são: entre as ruas Barão de Butuí e João Pessoa, Bento Martins e Princesa Isabel, Bento Martins e Sete de Setembro, e João Pessoa e General Neto. 

Continue Reading

Especial

Covid: Pelotas registra 1.290 infectados e uma morte em 24 horas

Publicado

on

Pelotas registrou 1.290 infectados pela covid e uma morte pela doença nas últimas 24 horas.

87,5% dos 16 leitos de UTI estão ocupados.

A ocupação é de 100% nos 42 leitos de enfermaria.

Um total de 9.663 contaminados estão isolados em casa.

Hoje, cada 100 pessoas transmitem o vírus para outras 137.

Publicidade
Continue Reading

Brasil e mundo

Anvisa aprova uso e comercialização de autoteste para covid-19

Publicado

on

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou hoje (28), por unanimidade, o uso e a comercialização, no Brasil, de autotestes para detecção de covid-19.

A aprovação ocorre após o envio de informações pelo Ministério da Saúde a pedido da Anvisa que, em 19 de janeiro, solicitou esclarecimentos a respeito da inclusão do autoteste nas políticas públicas de testagem para covid-19 e também sobre o registro de casos positivos.

Registro

Com a aprovação desta sexta-feira, a agência vai publicar uma resolução com os requisitos necessários para que as empresas interessadas em vender os autotestes em farmácias peçam o registro dos produtos.

Isso quer dizer que os autotestes não devem estar disponíveis de imediato ao público final, pois, para que cheguem às farmácias, cada produto, de cada fabricante ou importador, deve ainda ser aprovado individualmente pela Anvisa, após análise de ampla documentação.

Requisitos

Um dos requisitos para aprovação de cada produto, de acordo com o voto da relatora do tema na Anvisa, diretora Cristiane Rose Jourdan Gomes, é que os autotestes tragam informações, com linguagem clara e precisa, orientando o público leigo sobre como colher adequadamente o material biológico e fazer o exame.

Outro requisito é que os produtos tenham sensibilidade de 80% ou mais ao coronavírus e que possuam especificidade de no mínimo 97% na detecção do vírus, de acordo com o voto da relatora.

Entenda

A aprovação do autoteste ocorreu depois de o Ministério da Saúde se comprometer a incluir um capítulo sobre o assunto no Plano Nacional de Expansão da Testagem para Covid-19. Acerca do registro de casos positivos, foi considerado suficiente exigir que os fabricantes dos produtos disponibilizem plataforma para tal, por meio de tecnologia QR Code.

Publicidade

Ontem (27), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que os autotestes não devem ser disponibilizados pelo SUS e que a ideia é que estejam disponíveis em farmácias para quem “tiver interesse em adquirir”.

Votos

“Não resta dúvida de que o produto do diagnóstico in vitro na forma de autoteste pode sim representar excelente estratégia de triagem e medida adicional no controle da pandemia. Principalmente neste momento em que o contágio pela doença é grande e muitas pessoas não conseguem ter acesso aos testes pelo SUS ou por laboratórios da rede privada”, frisou a relatora do tema na Anvisa.

Cristiane Gomes destacou ainda que o autoteste tem sido elemento essencial no controle da pandemia em países como Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos, onde são, muitas vezes, disponibilizados gratuitamente. 

O voto dela foi seguido pelos demais diretores que participam da reunião extraordinária desta sexta-feira – Rômison Rodrigues Mota, Alex Machado e Meiruze de Souza Freitas.  O diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, não participou, por motivo de emergência de saúde na família. 

Em seu voto, o diretor Rômison Rodrigues Mota disse que “o autoteste tem excelente aplicabilidade no contexto pandêmico, visto que permite o isolamento precoce de casos positivos e a quebra de cadeia de transmissão da covid-19”.

Ele destacou ainda dados da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), divulgados ontem, dando conta de altíssima demanda por testagem para covid-19. Segundo a entidade, entre 17 e 23 de janeiro, foram feitos um recorde de 740,7 mil testes em farmácias e drogarias, sendo que 43,14% resultaram positivos.

Preços

Todos os diretores mostraram preocupação com o preço do autoteste, destacando que, para serem acessíveis ao maior número possível de pessoas, os preços dos produtos devem ser menores do que os praticados atualmente, tendo em vista que dispensam o fornecimento do serviço de coleta do material biológico.

Publicidade

“Não há competência legal da Anvisa para estabelecer preços máximos. Contudo, entendo que é fundamental que os órgãos de proteção e defesa do consumidor continuem a realizar ações para coibir práticas de mercado que podem ser consideradas abusivas”, disse Rômison Rodrigues Mota.

Continue Reading



Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em alta