Connect with us

Pelotas & RS

QUEBRAR VITRAIS? TIRAR ROSAS? Por Dom Jacinto Bergmann

“Precisamos nos educar para não quebrar o primeiro vitral! O vitral da sacralidade de minha consciência não quebrado, faz feliz o meu ser ‘imagem e semelhança de Deus'”

Publicado

on

Recebi a visita de uma professora, esposa do meu primo e mãe de três filhas. A nossa conversa, num dado momento, girou em torno do educar-se para o bem comum com a questão: o que é público e o que é respeito público? Como professora aposentada, já experiente por tantos anos com crianças, ela lembrou-se das tantas vezes que usava duas estórias para a educação dos seus aprendizandos sobre o que é “bem comum”, o que é “público” e o que é “respeito ao público”.

A primeira estória: “Havia uma casa abandonada, mas conservava intactas belas janelas com vitrais. Um dia alguém passou e jogou uma pedra quebrando o primeiro vitral. Veio o segundo e concluiu que se o primeiro vitral está quebrado eu posso jogar uma pedra e quebrar o segundo vitral. Assim passou o terceiro, o quarto e sucessivamente outros até que todos os vitrais estavam quebrados”.

Os aprendizandos ainda não captavam na íntegra a resposta do que significava o bem comum, o público e o respeito ao público. Afinal, vitrais de uma casa abandonada parecem não servir para nada o que é bem comum, o que é público e o que é respeito público. Contava então a segunda estória: “Havia um belo jardim numa praça pública com várias rosas floridas. Passou um cidadão, pensando que as rosas eram “públicas”, levou uma consigo. Veio o segundo e concluiu que se a primeira rosa alguém tirou eu posso tirar uma segunda rosa para mim. Assim passou o terceiro, o quarto e sucessivamente outros até que todas as rosas foram tiradas egoisticamente para cada qual que as tiraram”.

Pelas estórias contadas, as crianças finalmente entenderam o significado do bem comum, o que é público e o que é respeito ao público. Portanto, o que é bem comum, o que é público e o que é respeito ao público é não apoderar-se para mim o que é de todos. O que é de todos é de todos e não o que é de todos é para mim somente. Público é sinônimo de “todos para todos” e não é sinônimo de “todos para mim”. Por que apoderar-se egoisticamente daquilo que é de todos? Apoderar-se do público para mim é quebrar a lógica do bem comum e, consequentemente, quebrar a natureza da felicidade: o que me faz feliz é o que faz feliz a todos!

Precisamos nos educar para não quebrar o primeiro vitral! O vitral da sacralidade de minha consciência não quebrado, faz feliz o meu ser “imagem e semelhança de Deus”. O vitral da ordem da casa do nosso lar não quebrado, faz mais feliz a nossa família. O vitral da beleza do aprendizado comunitário de nossa escola não quebrado, faz mais feliz o trabalho vocacional e profissional futuro. O vitral do sentido maior da vida vivido na nossa comunidade de fé não quebrado, faz mais feliz os filhos de Deus.

Precisamos nos educar para não tirar a primeira rosa! A primeira rosa e as demais rosas, enfeitando o nosso ser, não podem ser tiradas: como fica a sacralidade da nossa consciência presente em nós? A primeira rosa e as demais rosas, perfumando os nossos lares, não podem ser tiradas: como fica a docilidade do convívio familiar na nossa existência? A primeira rosa e as demais rosas, sensibilizando as nossas escolas, não podem ser tiradas: como fica o aprendizado da convivência social na nossa vida? A primeira rosa e as demais rosas, fundamentando a nossa experiência do Deus-Amor vivenciado na comunidade de fé, não podem ser tiradas: como fica a filiação de Deus e a fraternidade com os outros seres humanos e com a “Casa Comum”? A primeira rosa e as demais rosas, humanizando a nossa cidade, não podem ser tiradas: como fica a preciosidade do bem comum, do público e do respeito ao público?

Publicidade

A educação do “não quebrar vitrais” e do “não tirar rosas” continua sendo urgente e sem tréguas para todos.

Dom Jacinto Bergmann, Arcebispo Metropolitano da Igreja Católica de Pelotas

Publicidade
Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor.

Especial

Cipel contra cobrança de taxa de iluminação pública

Publicado

on

Pelotas, 06 de dezembro de 2021.

Cumprimentando-o respeitosamente, vimos através desta em nome dos empresários da indústria local, os quais são representados coletivamente pelo Centro das Indústrias de Pelotas (Cipel) e pelos nove Sindicatos Patronais que integram a Casa da Indústria apresentar a desconformidade da classe com a criação da Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública (COSIP) em Pelotas, o qual tomamos conhecimento pelas redes sociais que está em fase de apreciação nesta Casa Legislativa.

Além de invariavelmente termos a posição de contrariedade a qualquer tipo de tributo ou taxa, seja ele de ordem estadual, municipal ou federal, gostaríamos de argumentar sobre o período extremamente negativo para a implantação de mais um custo mensal: a atual crise assola a maior parte das famílias pelotenses; as empresas estão buscando novas formas de dar continuidade às suas produções; têm custos de matéria prima, encargos e demais elevadíssimos; estão trabalhando com a margem mínima e, muitas vezes, em déficit apenas para cumprir com os compromissos assumidos e não conseguem, de maneira nenhuma, absorver uma nova tarifa mensal.

Outrossim, gostaríamos de lembrar que os serviços públicos são específicos, quando possam ser destacados em unidades autônomas de utilização, traduzindo a incompatibilidade da utilização da iluminação pública de forma divisível e específica. O serviço de iluminação pública é usufruído por todos aqueles que transitam pelos logradouros e vias públicas, pouco importando sejam munícipes, proprietários de imóveis, empresários, industriais ou visitantes,
inviabilizando a divisão dos proveitos do serviço em relação direta com o consumo, os quais respondem por todos aqueles que dele se beneficiam, o que implica arrematada desigualdade de tratamento e abuso.

Imperioso ainda destacar que cremos na integridade de nossos representantes políticos, no espírito de entendimento da atual conjuntura econômica que estamos atravessando neste momento pós pandemia onde tanta insegurança e tristeza permeou os dois últimos anos e de que é inadmissível aceitarmos mais esse ônus que traduz a fúria arrecadatória em uma localidade economicamente deprimida; com gargalos de todas as naturezas que impedem o desenvolvimento pleno; tarifa de IPTU no ranking das mais elevadas do Estado e baixa
competitividade.

Confiamos, assim, no bom senso dos nossos representantes, na transparência do processo; na democracia e na política séria e moderna tão propalada pela atual gestão municipal, que não aceita os acordos e benesses políticas em
detrimento ao bem comum ou ilimitados poderes.

Publicidade

Sem mais, renovamos nossos votos de apreço a admiração.

Cordialmente,

Amadeu Pedrosa Fernandes
Presidente do Cipel (Centro das Indústrias de Pelotas).

Continue Reading

Especial

Passaporte vacinal será necessário na UFPel

Publicado

on

A reitora da Universidade Federal de Pelotas, Isabela Andrade, assinou, nesta segunda-feira (6), portaria que torna obrigatória a comprovação da vacinação contra a Covid-19 para acesso circulação nas dependências da UFPel.

O ato entra em vigor no dia 7 de fevereiro, data que marcará o retorno das atividades dos servidores da Universidade. A portaria normatiza a exigência, aprovada em sessão extraordinária do Conselho Universitário.

A disposição é válida para estudantes, servidores docentes e técnico-administrativos, trabalhadores terceirizados e público em geral. O comprovante poderá ser solicitado a qualquer tempo, nas portarias de prédios da Universidade ou durante a permanência em espaços físicos da instituição.

Poderão ser apresentadas a carteira de vacinação digital, disponível na plataforma ConecteSUS, do Sistema Único de Saúde, sendo este o preferencial, ou a caderneta ou cartão de vacinação impresso em papel timbrado emitido por instituição governamental brasileira quando da vacinação. Será considerado o esquema vacinal completo.

Exceção será aberta para pessoas com contraindicação médica para as vacinas existentes no mercado; nesse caso, deverá ser mostrado atestado médico justificando a não imunização. Para acesso de pessoas não vacinadas, será necessária apresentação de laudo relativo a exames negativos ao coronavírus do tipo RT-PCR ou de antígeno realizados até 72 horas antes.

De acordo com a reitora, no documento, a vacinação contribui para a preservação da saúde da comunidade acadêmica. Ela ainda complementa que estão comprovados os efeitos de que a ela é crucial para o controle da pandemia, auxiliando na retomada das atividades acadêmicas no formato presencial.

Publicidade

Continue Reading

Pandemia

População acima de 18 anos já pode receber reforço da vacina

Terceira dose é destinada a quem completou o esquema vacinal há, no mínimo, cinco meses

Publicado

on

terceira dose da vacina contra o coronavírus (dose de reforço) já pode ser recebida por toda população adulta, que tenha feito a segunda há, no mínimo, cinco meses. Os imunizantes podem ser encontrados nos mais de 50 pontos de vacinação selecionados pela Prefeitura a partir de quarta-feira (8). 

Os documentos que deverão ser apresentados, no momento da aplicação, são identidade e Carteira de Vacinação, para comprovar as duas doses ou esquema vacinal completo, com cinco meses de intervalo desde a última. 

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) destaca a importância desse público comparecer aos locais de vacinação e receber o reforço que protege contra a Covid-19. 

Fique atento à programação

– De segunda a sexta-feira

* Em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) – das 8h30min às 11h – exceto as unidades sentinela (UBSs Salgado Filho, PAM Fragata e CSU Cruzeiro). 

* Nas UBSs Fraget, Lindoia e Porto – das 8h30min às 15h 

Publicidade

* No Laboratório Municipal – das 13h30min às 17h 

* No Shopping Pelotas, loja 40, das 17 às 21h 

– Aos sábados

* Escola Estadual Coronel Pedro Osório – das 10 às 15h 

Confira os endereços dos pontos de vacinação

Centro de Eventos – entrada pela avenida Pinheiro Machado, 3.390

Escola Coronel Pedro Osório – rua General Osório, 818 – Centro 

Laboratório Municipal – rua Lobo da Costa, 1.774 – Centro 

Publicidade

Shopping Pelotas – avenida Ferreira Viana, 1.526 – Areal 

UBS Arco-Íris – avenida Pery Ribas, 523 – Três Vendas 

UBS Areal I – rua Apolinário de Porto Alegre, 290 – Areal 

UBS Areal Fundos – avenida Domingos José de Almeida, 4.265 – Areal 

UBS Barro Duro – praça Aratiba, 12 – Laranjal 

UBS Bom Jesus – avenida Itália, 350 – Areal 

UBS Caic – avenida Leopoldo Brod, 3.220 – Pestano 

Publicidade

UBS Cascata – estrada Cascatinha 1, s/n – 5º distrito 

UBS Cerrito Alegre – estrada Cerrito Alegre, s/n – 3º distrito 

UBS Cohab Guabiroba – rua Doutor Arnaldo da Silva Ferreira, 352 – Fragata 

UBAI Lindoia – avenida Ernani Osmar Blaas, 344 – Três Vendas 

UBS Cohab Pestano – avenida Leopoldo Brod, 2.297 – Pestano 

UBS Cohab Fragata – rua Paulo Simões Lopes, 230

UBS Colônia Maciel – acesso Colônia Maciel, s/n – 8º distrito

Publicidade

UBS Colônia Osório – 4º distrito 

UBS Colônia Triunfo – Colônia Triunfo, s/n – 8º distrito

UBS Colônia Z-3 – rua Rafael Brusque, 147 – Laranjal 

UBS Corrientes – BR-116

UBS Cordeiro de Farias – 5º distrito 

UBS CSU Areal – rua Guararapes, 50 A – Areal 

UBS Dom Pedro l – rua Ulisses Batinga, 749 – Fragata 

Publicidade

UBS Dunas – avenida Ulysses Silveira Guimarães (avenida Um), s/n – Areal 

UBS Fátima – rua Baldomero Trápaga, 480 – São Gonçalo 

UBS Fraget – rua Três, 81 – Vila Real/Fragata 

UBS Getúlio Vargas – rua Sete, 184 – Getúlio Vargas 

UBS Grupelli – 7º distrito 

UBS Jardim de Allah – avenida Fernando Osório, 7.430 – Centro

UBS Laranjal – rua São Borja, 683 – Laranjal 

Publicidade

UBS Leocádia – rua David Canabarro, 890 – Areal 

UBS Monte Bonito – 9º distrito 

UBS Navegantes – rua Dona Darcy Vargas, 212 – Porto 

UBS Obelisco – rua Doutor Francisco Ribeiro Silva, 505 – Areal 

UBS Osório (Loteamento) – rua Barão de Mauá, 217 

UBS Pedreiras – 9º distrito 

UBS Posto Branco (anexo Vila Princesa) – Estrada Porto Alegre antiga, Granja Retiro, s/n 

Publicidade

UBS Porto/Puericultura – rua Doutor João Pessoa, 240 – Centro 

UBS Py Crespo – rua Marquês de Olinda, 1.291 – Três Vendas 

UBS Sanga Funda – avenida Engenheiro Ildefonso Simões Lopes, 5.025 – Três Vendas 

UBS Sansca/Vila Castilho – rua Doutor Amarante, 919 – Centro 

UBS Santa Silvana – Colônia Santa Silvana, s/n – 6º distrito

UBS Santa Terezinha – rua São Miguel, 5 – Três Vendas 

UBS Simões Lopes – avenida Viscondessa da Graça, 107 – Centro 

Publicidade

UBS Sítio Floresta – rua Ignácio Teixeira Machado, 299 – Sítio Floresta

UBS União de Bairros – rua 1, s/n – Loteamento dos Municipários 

UBS Vila Municipal – rua Luciano Galleti, 600 – Três Vendas 

UBS Vila Nova – 7º distrito – Vila Nova 

UBS Vila Princesa – rua Quatro, 3.205 – Três Vendas 

UBS Virgílio Costa – rua Epitácio Pessoa, 1.291 – Fragata 

Todos que optarem por realizar a imunização no Shopping Pelotas estarão isentos do pagamento da taxa de estacionamento do local. A gratuidade será concedida a quem apresentar a carteira de vacinação. Além disso, quem comparecer para a vacina e adquirir um ingresso para o cinema, para a data, ganhará outro ingresso sem custo algum.

Publicidade

Informações da SMS

A SMS esclarece que, como regra, todas as vacinas recomendadas no Calendário Nacional de Vacinação podem ser aplicadas no mesmo dia. Sendo assim, não é mais preciso aguardar o intervalo mínimo de 14 dias entre a aplicação do imunizante contra a Covid-19 e qualquer outro do calendário. 

Importante relembrar que continua a orientação às pessoas que apresentarem sintomas gripais de não comparecer na data marcada. O mesmo vale para quem tiver positivado para o coronavírus. É necessário aguardar 30 dias do início dos sintomas para receber a aplicação.

Continue Reading



Publicidade
Publicidade

Mais lidas em três dias