Connect with us

Brasil & Mundo

Pesquisadora ensina como escapar das fraudes do Black Friday

Cuidados incluem verificação do endereço dos sites e indicações de perfis em redes sociais

Publicado

on

As promoções para Black Friday já começaram e, a exemplo do que ocorreu no ano passado, a tendência é que haja um aumento das compras online. A compra por meio de comércio eletrônico está a um clique de distância, mas requer cuidados extras: o consumidor precisa estar atento a uma série de fatores, desde o endereço dos sites até as normas para eventuais trocas. É o que explica Beatriz Castilho Costa, pesquisadora do CTS da FGV Direito Rio.

Segundo a advogada, o consumidor deve atentar que na compra online não está vendo o produto em suas mãos, mas sim comprando a partir de uma propaganda com foto. Por isso, deve verificar as indicações constantes no site, como a espécie do produto, suas dimensões, cores, eventuais prazos de validade etc.

Nesse aspecto, Beatriz Castilho Costa avisa que o consumidor deve verificar se há algum problema aparente no produto ao recebê-lo. Caso isso ocorra, deve entrar em contato com o fornecedor para fazer o reparo, a substituição ou eventual cancelamento da compra.

“O Código de Defesa do Consumidor dá o prazo de 30 dias para produtos ou serviços não duráveis e 90 dias para os duráveis, contados do recebimento. Para vícios ocultos, como algum de defeito no funcionamento, por exemplo, o prazo apenas é iniciado a partir de sua constatação”.

Para solicitar eventuais trocas ou comunicar qualquer defeito é preciso entrar em contato com o fornecedor, o que, em geral, ocorre por e-mail, telefone ou formulário online. “Caso o contato seja telefônico, é necessário solicitar o número do protocolo de atendimento. Também é indicado fazer um print ou tirar uma foto da tela quando da confirmação de envio da sua mensagem por meio de formulário, para o caso de o site não enviar um e-mail de confirmação de recebimento”, alerta Beatriz Castilho Costa.

Outro cuidado importante é conferir se o site de compra é seguro, observa a pesquisadora do CTS da FGV Direito. O primeiro passo é verificar o domínio e a URL, ou seja, se há o “s” ao final: sites seguros são iniciados por “https”. Também é importante observar se o site possui selo de segurança, que, geralmente, é encontrado ao final da página ou durante o processo de compra.

“Cabe ressaltar que sites falsos podem simplesmente copiar a imagem. Assim, essa verificação deve sempre ser feita em conjunto com as demais”, sinaliza a pesquisadora, ressaltando que é interessante procurar o contato do fornecedor e que sites confiáveis indicam claramente a forma de contato, os responsáveis e o endereço de eventual loja física. Vale, ainda, pesquisar o histórico da loja, seja no Google ou em sites como o “Reclame Aqui”.

Publicidade

Mais um item a ser verificado é a “Política de Privacidade” e os “Termos de Uso” do site. O consumidor não precisará compartilhar novos dados em virtude da nova LGPD. De acordo com a pesquisadora do CTS da FGV Direito Rio, o fornecedor somente pode exigir que o consumidor compartilhe os dados necessários para a identificação do comprador e de quem receberá o produto (caso não se trate da mesma pessoa) e entrega do produto comprado.

E, em tempos de redes sociais, a recomendação é para ter cuidados caso a compra seja feita por meio de perfil em rede social. De acordo com a advogada, é importante dar preferência a perfis verificados ou, no caso de perfis pequenos (a grande maioria), indicados por familiares, amigos e conhecidos. “Como houve um grande aumento de perfis informais voltados para vendas online, como pessoas vendendo quentinhas, bichinhos de tricô, entre outros itens, o famoso “boca a boca” é a forma mais confiável de saber se aquele fornecedor é confiável ou não”, completa Beatriz Castilho Costa.

Do site Migalhas.

Publicidade
Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor.

Brasil & Mundo

Decreto cria verbas para pagar Auxílio Brasil de R$ 400 em dezembro

Publicado

on

A edição extra do Diário Oficial da União (DOU) de hoje (7) trouxe o texto da medida provisória (MP) 1.076 de 2021, que antecipa o pagamento do novo valor do Auxílio Brasil – programa social de distribuição de renda que substitui o antigo Bolsa Família.

O instrumento cria um benefício extraordinário que complementa as parcelas já previstas do Auxílio Brasil para o valor de R$ 400 divulgado pelo governo. A manobra ocorre devido à necessidade de promulgação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, que deverá ser fatiada e que possibilitará a alocação de recursos para o pagamento integral do Auxílio Brasil.

Segundo o calendário de pagamentos já divulgado pela Caixa, os créditos relativos à parcela de dezembro do Auxílio Brasil serão recebidos a partir da próxima sexta-feira (10).

Veja o calendário do ciclo de pagamentos do Auxílio Brasil em dezembro

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre a PEC dos Precatórios e afirmou que o instrumento não é “calote”, mas uma forma viável de realocar dívidas em prol de uma revisão justa de benefícios sociais.

“[A PEC dos Precatórios] não é um calote, muito pelo contrário. É uma renegociação, um alongamento de dívida para quem tinha mais de R$ 600 mil para receber do governo. É isso que nos permite um saldo, um espaço, para potencializar com justiça o programa”, disse o presidente durante a cerimônia de assinatura da concessão de frequências do 5G no Palácio do Planalto.

Publicidade
Continue Reading

Brasil & Mundo

Governo anuncia quarentena de cinco dias para viajantes não vacinados

Publicado

on

O governo federal anunciou nesta terça-feira (7) que vai exigir quarentena de cinco dias para viajantes não vacinados contra a covid-19 que desembarcarem no Brasil. Em cerimônia no Palácio do Planalto, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, detalhou que, após o período de quarentena definido, os viajantes deverão realizar um teste do tipo RT-PCR com resultado negativo.

Segundo o ministro, cerca de 80% da população brasileira acima de 14 anos já está imunizadas com as duas doses da vacina. O número representa mais de 175 milhões de habitantes. Ele destacou ainda que o país conseguiu “reduzir fortemente” o número de casos e óbitos provocados pela covid-19 – nos últimos seis meses, a queda foi de cerca de 90%.

Passaporte da vacina

Sobre a possibilidade de exigência de um certificado de vacinação para viajantes que queiram entrar no país, recomendada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Queiroga avaliou que o enfrentamento à pandemia não diz respeito apenas “a um chamado passaporte que mais discórdia do que consenso cria”.

“Ultimamente, o mundo ficou muito preocupado com uma nova variante do vírus. Essas variantes podem acontecer em qualquer lugar do mundo. Os países que identificam essas variantes não podem ser punidos com restrição aos seus cidadãos.”

“É necessário defender as liberdades individuais, respeitar os direitos dos brasileiros a acessarem livremente as políticas públicas de saúde”, disse. “Essa temática envolve as relações exteriores do Brasil e o Brasil é um país muito reconhecido exatamente por utilizar o princípio da reciprocidade”, completou.

Publicidade
Continue Reading

Brasil & Mundo

Daniel Trzeciak premiado

Publicado

on

O Amigos recebeu convite do deputado Daniel Trzeciak, do PSDB, para cerimônia em que ele receberá o prêmio de Melhor Deputado Federal do RS e Segundo Melhor do Brasil, de acordo com o Ranking dos Políticos.

Continue Reading



Publicidade
Publicidade

Mais lidas em três dias