Connect with us

Especial

Aluna da Odonto conquista 1° lugar em congresso da USP

Trabalho premiado relata acompanhamento de bebê com síndrome rara na Clínica Odontológica da UCPel

Publicado

on

Promover os cuidados com a higiene oral dos bebês é o principal objetivo do projeto de extensão Atenção Odontológica nos Primeiros Mil Dias de Vida (PEX 1000 Dias) do curso de Odontologia da Universidade Católica de Pelotas (UCPel).

É uma iiciativa que tem acompanhado de perto uma pequena paciente no Consultório Odontológico da instituição e garantiu um prêmio para a aluna Jaiane Freitas de Faria.

Ela conquistou o primeiro lugar no Congresso Universitário de Odontologia (CUBO) da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP).

Jaiane é natural de Jaguarão, cursa o 6° semestre da Odonto, e é integrante do PEX 1000 Dias há cerca de dois anos. Ela construiu o trabalho com a orientação da professora Luísa Jardim Correa de Oliveira.

“Acompanhamento odontológico desde os primeiros anos de vida de paciente portadora da Síndrome de Sturge-Weber: relato de caso clínico”, que descreve o atendimento prestado pela ação extensionista a uma criança de 1 ano e 6 meses, com a síndrome que é considerada rara.

A aluna não esconde a alegria em ter o reconhecimento de um dos mais tradicionais eventos universitários do país na área da Odontologia.

Publicidade

“Fico extremamente feliz e agradecida por representar o curso de Odontologia da UCPel e o projeto de extensão em um congresso de altíssimo nível, além de contribuir com a ciência. Essa conquista é resultado de muita dedicação, e com certeza um passo muito importante para minha formação”, comemora a discente da Católica. 

A orientadora do trabalho enfatiza que a iniciativa integra a proposta do PEX 1000 Dias de acompanhar bebês e seus cuidadores no período considerado de “ouro” para o futuro da saúde bucal, além de destacar nacionalmente a Odonto da Católica.

“Esse prêmio reflete a trajetória que a aluna está tendo, com um trabalho que com certeza irá agregar no currículo dela e também na bagagem de vida. Essa conquista nos enche de orgulho pelo trabalho que a gente presta  para os pacientes na extensão e por ter uma aluna da graduação fazendo esse movimento de iniciação científica”, afirma a docente.

O que é o trabalho premiado 

De acordo com a aluna, o relato analisa desde a primeira consulta feita pela criança, os procedimentos adotados, até o retorno após a mudança de prática da higiene oral. Jaiane conta que foi observada uma inflamação gengival ao redor do primeiro molar superior, e foi relatado pela responsável que até o momento não havia sido realizada higiene bucal.

A partir dessa constatação, além das orientações de higiene na Clínica Odontológica, vídeos ilustrativos foram utilizados, via WhatsApp, a fim de auxiliar nas primeiras escovações. Após sete dias foi realizada uma nova consulta para reavaliar a inflamação gengival e o processo inflamatório havia reduzido, o que demonstrou que as orientações foram compreendidas e seguidas, explica Jaiane.

“Os achados na literatura evidenciam dificuldade de manejo das condições odontológicas diagnosticadas tardiamente. Dessa forma, esse caso ilustra que a promoção de saúde e prevenção de doenças na cavidade oral bem como o acompanhamento com consultas regulares desde o início da vida torna-se peça chave para evitar agravos e garantir saúde oral”, afirma a aluna. 

Publicidade

Continuidade do atendimento

A paciente, confirma a discente, será acompanhada com consultas periódicas a cada quatro meses, nas quais serão abordados e reforçados tópicos sobre alimentação e higiene bucal, além da realização de profilaxia dental profissional. O plano de tratamento inclui acompanhamento da sequência e cronologia de erupção dos dentes, manutenção da saúde gengival e prevenção da cárie dentária. 

A Síndrome de Sturge-Weber

É uma rara condição congênita de desenvolvimento, causada por uma mutação no gene GNAQ. Ela se caracteriza por proliferações vasculares que envolvem os tecidos do cérebro e da face. Os pacientes acometidos por essa síndrome podem apresentar diversas manifestações orais, entre elas o crescimento gengival, que pode variar de leve à excessivo e comprometer a nutrição e a higiene bucal.

Publicidade
Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor.

Especial

UCPel transfere temporariamente atendimentos do Campus Saúde

Publicado

on

Os pacientes dos ambulatórios de Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia do Campus Saúde da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) estão sendo atendidos em um novo endereço. Já está funcionando o Centro Acadêmico de Saúde (CAS), localizado na rua General Telles, n°868. A mudança, que deve durar cerca de um ano e meio, foi motivada pelas obras de ampliação do Campus Saúde, localizado no bairro Três Vendas.

O novo local ligado aos serviços de saúde prestados pela UCPel foi locado e está em funcionamento desde a segunda semana de janeiro. O prédio, que já foi um hotel, passou por uma reestruturação para receber os pacientes e também para garantir o exercício da prática acadêmica.

O Escritório Modelo de Engenharia e Arquitetura da Católica (EMEA/UCPel), foi o responsável pelas mudanças, entre elas, o deslocamento de mobiliário e equipamentos do Campus Saúde para o CAS. “No antigo ambiente de um restaurante foram criadas com divisórias as salas de professores, de espera, de estudos e lounge para alunos e docentes. Também estamos instalando ventiladores e condicionadores de ar, além de bebedouros”, relata a gerente de Infraestrutura e do EMEA, Débora Bourscheid. O prédio possui quatro andares, mas o CAS está ocupando apenas os três primeiros.

Estrutura

Segundo a gerente administrativa do curso de Medicina da UCPel, Daiane Dias, o Centro Acadêmico de Saúde possui:

– 30 consultórios;

Publicidade

– 6 salas de estudos;

– 2 postos de enfermagem;

– 1 sala de professores;

– 1 sala de microscópios; e, 

– 1 lounge para alunos e professores.

Além das áreas específicas para atendimento, a estrutura ainda é composta por sala de triagem, recepção, sala de espera central no andar térreo, espaços de espera nos demais andares, além de copa, vestiários e sanitários em todos os consultórios e salas de estudo. 

Orientações à população

Publicidade

Assim como a equipe de funcionários, docentes e professores que atuavam no Campus Saúde, foi mantida, os horários de atendimento à população também são os mesmos – das 7h às 17h, de segunda à sexta-feira. O responsável pela gestão do Ambulatório do Campus da Saúde, Brenno Victoria, explica que a população atendida pelas especialidades atingidas pela mudança será encaminhada pela Secretaria Municipal de Saúde ao novo endereço e os retornos serão agendados pelo setor administrativo do CAS. Quem tiver dúvidas pode ligar para (53)21288500, ramais 3080 e 3081.

Continue Reading

Especial

Covid / Prefeitura diz: “Caso necessário, reativaremos leitos em hospitais”

Publicado

on

Consultada pelo Amigos, a prefeitura respondeu:

A Secretaria de Saúde mantém contato com os hospitais para que, caso seja necessário, possa reativar leitos clínicos e de UTI, mas essa reabertura não é tão rápida, pois envolve uma série de fatores, como a disposição de espaço e de equipes médicas de retaguarda, que precisam ser exclusivas para atender pacientes Covid e também de financiamento federal. Caso isso aconteça, será divulgado.

Continue Reading

Especial

Comitê UFPel alerta para necessidade de medidas extras para enfrentar covid em Pelotas

Publicado

on

Aumento do número de casos pressiona o sistema de saúde

Pelotas, 25 de janeiro de 2022

O Comitê UFPel Covid-19 vem por meio de nota técnica sinalizar a piora do cenário da
epidemia de Covid-19 em Pelotas, resultante da circulação da variante ômicron, e chamar atenção para a ocupação máxima de leitos de UTI no município.

Há três semanas o município de Pelotas apresenta forte aumento no número de casos, sendo que nas duas últimas semanas o município experimentou números recordes, alcançando na semana epidemiológica 3 (16 a 22 de janeiro) 2736 casos novos (Gráfico 1), ou seja, 798 casos novos a cada 100.000 habitantes, muito acima do ponto de corte de 100 casos novos a cada 100.000 habitantes por semana considerado pelo Centro de Controle de Doenças como situação de alta transmissão.

Embora o número de pessoas com vacinação completa e com dose de reforço reduzam o quantitativo de casos graves com internação em enfermaria, UTI e óbitos, em comparação com o que ocorreu no ano passado, é esperado que este quantitativo muito alto de casos pressione o sistema de saúde. O Painel Covid-19 do município indica 16 pessoas em leitos de UTI, com 100% de ocupação.

Pelotas tem recorde de infectados: 1314 em 24 horas. Todos os leitos estão ocupados

Sabe-se que este número é bastante inferior ao número de leitos covid-19 disponíveis no pico da epidemia que era em torno de 60. Entretanto, preocupa que o município venha a enfrentar dificuldades para ampliar leitos. Sabe-se que um grande número de profissionais de saúde que estão afastados por estarem contaminados, além disso a grande exaustão enfrentada pelos profissionais de saúde, depois de 2 anos de pandemia, limita a possibilidade de expandir a carga horária.

O percentual da população geral de Pelotas com vacinação completa está em 68%, aquém do percentual do estado do RS como um todo que é de 72%. Apesar da importância da dose de reforço para evitar casos graves provocados pela variante ômicron, o percentual da população geral de Pelotas com dose de reforço é de apenas 22%. Ainda existem, inclusive, muitos idosos que não receberam a dose de reforço.

Publicidade

Diante disso, o comitê enfatiza a necessidade de ampliar as medidas de distanciamento social, a ventilação cruzada dos ambientes e o uso correto de máscaras de boa qualidade. Sabe-se que as máscaras de tecido oferecem proteção variável, portanto deve ser estimulado o uso de máscaras PFF2 ou N95 especialmente em locais em que ocorrem grande número de contatos e como segunda opção as máscaras cirúrgicas.

É necessário acelerar a vacinação das crianças e fazer busca ativa daqueles que estão com dose de reforço pendente ou com vacinação incompleta. É importante ampliar ao máximo o acesso a testagem e a orientação para o isolamento daqueles com resultado positivo. O isolamento desde o início dos sintomas ou a partir do resultado positivo do teste é o mais adequado para promover a interrupção da transmissão.

É preciso buscar estratégias para evitar as longas filas para vacinação e testagem, tanto porque elas são uma barreira para o acesso, quanto pelo fato de se tornarem um foco de aglomeração e contaminação. Além disso, é fundamental monitorar a situação dos profissionais de saúde. O suporte social para a população em estado de vulnerabilidade deve ser fortalecido, garantindo, entre outros aspectos, a distribuição de máscaras de boa qualidade e apoio para aqueles que precisam fazer isolamento.

Continue Reading



Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em alta