“QUERIDES LEITORES”

“O oprimido não vai da opressão para a serenidade: passa antes pela vingança, que é um instrumento de justiça primitivo. Quer depor o tirano (a suposta opressão linguística, no caso) para impor sua própria tirania. O mais intrigante é que os que insistem nesse papo de alunes e amigues são os mesmos que não abriam mão de dizer “presidenta”.