http://www.marvelsul.com.br/site/content/home/
  • Vereadores ainda discutem projeto do IPTU

    A Câmara de Vereadores continua, neste momento, 23h15, discutindo o projeto do IPTU. Não há previsão segura de que votem nessa sessão, que não tem hora para acabar. 

    O que é certo é que o projeto do Executivo terá seis emendas - todas acatadas - no sentido da isenção a alguns segmentos, como aposentados com mais de 65 anos e entidades patronais, como a Associação Rural, apesar dela ocupar vasta área e alugar suas instalações para inúmeros eventos, como feiras, congressos e exposições.

    O presidente da Associação Rural esteve na Câmara e fez uma apresentação em power point aos vereadores, tentando provar que a Associação Rural não tem fins lucrativos e que, por isso, merece ficar isenta do pagamento do tributo.

  • http://www.marioquintana.com.br/

    Sobre o release da Prefeitura e o evento da Idealiza: não vai faltar nem o João-Bobo

    Última atualização: às 21h14 de 26/11/2014


    Voltei, vou comentar, parágrafo por parágrafo, o release abaixo, enviado pela Prefeitura à imprensa na tarde desta quarta (26). O texto do release vai em negro. Meu comentário, não. Lá vai... (Rubens Filho)

    ______________________________________

    UM FIM DE SEMANA PARA PENSAR A CIDADE DO FUTURO


    RELEASE: Como a população enxerga a Pelotas de hoje? E o que estas pessoas querem pro futuro da cidade? Diversos assuntos fazem parte do debate quando se pensa na Pelotas que nossos filhos e netos vão conhecer. Mobilidade urbana, sustentabilidade, qualidade de vida, convívio são alguns dos grandes desafios da vida nas cidades.


    "Como a população enxerga a cidade?" é o tipo da pergunta que me lembra aquele tratado "Algumas Precisões Sobre o Estado Geral das Coisas". Ora, a população enxerga de diversas, variadas, multifacetadas formas, conforme os níveis social, econômico, cultural de cada indivíduo. Um sujeito que mora num edifício na volta da Praça Pedro Osório pensa de um jeito, o que vive no Laranjal pensa de outro, o que vive no Dunas, de outro, o que mora no condomínio Lagos de São Gonçalo, de outro... 


    Eu arriscaria uma primeira classificação - dela se subdividiriam outras tantas. Eu dividiria entre os que veem Pelotas como uma "cidade" e os que a veem como uma "não-cidade". 


    Por exemplo, os que vivem nos condomínios murados gigantes, verdadeiras mini-cidades apartadas da cidade e criadas curiosamente pela Idealiza Urbanismo, mesma promotora do evento citado no release, esses veem Pelotas como uma “não-cidade”, pois a cidade, para eles, passou a ser o condomínio. Quando os comercializou, a Idealiza vendeu o peixe de que só dentro daqueles muros (áreas tão enormes que foram apelidadas de Vaticanos) se poderia viver com dignidade e segurança. Já o restante da população talvez veja Pelotas como uma "cidade".


  • http://www.marioquintana.com.br/

    Vovós fumam maconha pela primeira vez

  • http://www.cliquesaudepelotas.com.br/

    Fuhro Souto e HFM são condenadas por tentar retardar processo movido pela Procuradora da República no caso das corretagens do Minha Casa, Minha Vida

    Rubens Filho

    EM PRIMEIRA MÃO

    Henrique Fuhro Souto: condenação por adiar andamento de processo de cobrança considerada ilegal pelo Ministério Público

    Última atualização: às 14h00 de 26/11/2014

    As imobiliárias pelotenses Fuhro Souto e HFM, pertencentes ao empresário Henrique Fuhro Souto e um sócio, foram condenadas pela justiça por "litigância de má-fé", ou seja, por adotar procedimentos com o objetivo de retardar o andamento do processo a que respondem na justiça federal por cobrança de corretagens de mutuários do Programa Minha Casa, Minha Vida. O valor total da causa foi fixado em R$ 5 milhões. Pela litigância de má-fé, o juiz penalizou em R$ 5 mil cada uma das imobiliárias.

    Mais que o valor financeiro, a condenação teve por objetivo punir a artimanha dos advogados para retardar a evolução do processo. A Procuradoria da República ingressou com Ação Civil Pública contra a Fuhro Souto, a HFM, a construtora Capamax, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, em setembro de 2011, denunciando os réus pela cobrança de corretagem de mutuários do Programa Minha Casa, Minha Vida.

    O caso foi denunciado pelo Amigos de Pelotas, em série de reportagens.

    O procurador Mauro dos Santos, autor da ação, considerou a cobrança ilegal e cobrou na justiça a devolução em dobro dos valores aos mutuários. De imediato, ele obteve liminar judicial favorável à proibição da cobrança de corretagem, enquanto a ação seguiu seu curso e chega, agora, ao quarto ano de trânsito. Na hipótese de o julgamento do mérito da ação terminar em condenação dos réus, o valor da indenização será fabuloso.

  • http://www.amigosdepelotas.com.br/

    O trailer de 'Jurassic World', quarto filme da série

  • Mais 1 motivo por que Aliança Pelotas é contra projeto que atualiza planta de valores do IPTU. Querem isenção a entidades patronais, como Associação Rural

    Rubens Filho

  • Pelotas está sem ônibus

  • Antes da permissão a condomínios gigantes, irmãos Costa, da Idealiza, diziam que Pelotas ganharia com arrecadação de IPTU

    Rubens Filho

    Ricardo (esq) e o irmão Rodrigo: mudança de opinião conveniente

    Última atualização: às 15h21 de 26/11/2014

    No dia 14 de dezembro de 2009, Rodrigo Costa, diretor da Associação Rural e hoje coordenador da Aliança Pelotas, entidade que congrega construtores e outros empresários, e seu irmão Ricardo Costa (da Idealiza Urbanismo) defendiam a criação de condomínios fechados gigantes em Pelotas. Ambos participavam, na ocasião, de audiência pública na Câmara de Vereadores e tentavam convencer os parlamentares a alterar o Plano Diretor da Cidade para permitir os tais condomínios murados gigantes.

    O PD, que fora aprovado apenas um ano antes e, até então, permitia condomínios fechados de até 1 hectare, foi mudado para permitir aqueles empreendimentos desejados pelos construtores - em tamanhos de 10 hectares até 35 hectares, na prática mini-cidades, em desacordo com o planejamento urbano de Pelotas e com o conceito de "cidade cordial" defendido pelo prefeito atual, Eduardo Leite, que, na época da audiência acima, era vereador e votou contra o projeto.

    Na matéria sobre a audiência pública citada, feita pela Assessoria de Imprensa da Câmara de Vereadores e publicada no site do Legislativo em 15/12/2009, Ricardo, irmão de Rodrigo, defendia a construção daqueles condomínios, entre outros motivos, porque ele "proporcionaria uma arrecadação mais gorda de IPTU para a Prefeitura".

  • A altivez cômica da vice Paula

    Rubens Filho

    Ruy Barbosa: suave mexida da ossada
    Sempre há algo de cômico em todas as solenidades públicas. O formalismo e a pompa não conseguem jamais esconder os resquícios de nossa ancestralidade primitiva, unhas mal cortadas, sobrancelhas mal aparadas, o coçar da cabeça e coisas assim. O discurso da atual vice-prefeita de Pelotas, na entrega do título de Cidadão Pelotense ao general Angelo Okamura, na Câmara de Vereadores, nesta segunda (24), elimina qualquer dúvida. A fala de Paula Mascarenhas deve ter causado leve deslocar na ossada de Ruy Barbosa, a Águia de Haia. Suas palavras foram também, como lembrou um leitor, uma definição acabada do que é ser um "pelotino". Ah, sim, a vice falou: “É muito fácil ser pelotense para nós que nascemos aqui, mas tornar-se pelotense é um grande caminho a ser percorrido e o senhor conseguiu”.

    _______________________________

    * Pelotino é aquele ser que, por ter nascido em Pelotas, julga-se superior à humanidade, incluindo as civilizações grega, romana, a milenar cultura oriental e até algumas tribos de índios da ilha mais remota da Polinésia.

  • Ser jornalista

    Rubens Filho

    Às vezes me perguntam se escrevo com raiva. Não vou mentir. Já aconteceu. Na maioria das vezes, porém, sinto que escrevo com uma mistura de necessidade de me expressar, de indignação, de perplexidade, de exercício de lógica e de prazer.

    Às vezes desanimo. Imagino que deve acontecer o mesmo com pessoas de todas as profissões. Uma coisa vital, porém, descobri: por mais que me autocensure, e já fiz isso, algo me impele para a liberdade e para a verdade. Alguém tem que fazer esse estranho trabalho chamado jornalismo. Faço parte da tribo.

  • Paula Mascarenhas: "É fácil ser pelotense para nós que nascemos em Pelotas..."

    HUMOR OFICIAL

    Foto da cerimônia

    O general Angelo Okamura recebeu nesta segunda (24) o título de "Cidadão Pelotense". Ao homenageado foi dada plaquinha de madeira com diploma anexo. A proposição foi de um vereador chamado Idemar. 

    A vice-prefeita Paula Mascarenhas representou o prefeito e, em discurso, falou: 

    “É muito fácil ser pelotense para nós que nascemos aqui, mas tornar-se pelotense é um grande caminho a ser percorrido - e o senhor conseguiu (...)”.

    Foi ovacionada, juntamente com o general, que dirigiu por dois anos a 8ª Brigada de Infantaria Motorizada na cidade.

  • Leite descumpre lei do IPTU Progressivo. Com isso, estimula especulação imobiliária

    Rubens Filho

    Eduardo Leite: contrariando a lei, ele protege especulação imobiliária

  • Quando vereador, Leite cobrava da Prefeitura indenização de R$ 3 milhões da Idealiza por ter construído o Lagos de São Gonçalo. Mas nunca mais voltou ao assunto

    Rubens Filho

    Leite: cobrança como vereador foi esquecida

  • Idealiza fatura alto com condomínios fechados gigantes que um dia Leite foi contra. Agora, com apoio do mesmo Leite, a empresa quer faturar no nicho dos condomínios abertos

    Rubens Filho

    A Idealiza já ganha bastante dinheiro com condomínios fechados, que são mini-cidades. Agora querem ampliar as vendas, comercializando condomínios abertos, com apoio da Prefeitura. E, sim, quanto mais abandonada a cidade, melhores as chances de venda dos condomínios

    Veredas, mais de 10 hectares fechados (altos do Laranjal): subversão, pela exclusão, do conceito de cidade única, cordial e aberta vendido pelo prefeito Eduardo Leite

  • Carlos Valério: O triunfo de um professor que um dia ousou criar uma escola moderna em Pelotas

    Rubens Filho

    Quando ele começou a realizar seu sonho, adversários tentaram impedi-lo usando de maledicência e de veneno. Mas ele triunfou e ergueu a Mario Quintana, melhor escola de Pelotas e uma das melhores do RS, de onde saem levas de estudantes com alto desempenho nos exames de admissão à Universidade

    Professor Valério

    Última atualização: às 17h21 de 23/11/2014

    Uma das primeiras entrevistas que fiz, ao voltar a viver e trabalhar em Pelotas, em 2008, foi com o professor Carlos Valério, idealizador e fundador da Escola Mario Quintana (MQ). Ansiava por localizar pessoas que faziam a diferença na cidade, da qual estive ausente por 22 anos. Eu não podia acreditar que Pelotas não houvesse saído do lugar em tanto tempo, como à primeira vista parecia - e como de fato não saiu - em várias áreas. Falaram-me de "um tal professor Valério", que triunfara com muito trabalho, determinação e coragem. E enfrentando a maquiavelia de adversários destinada a fazê-lo fracassar.

<
123...145
>