Administração do Hospital Escola passa a ser 100% pública

Ao eliminar a Fundação de Apoio Universitário (FAU) do processo de contratações para o Hospital Escola, reitor Pedro Hallal, da UFPel, torna 100% pública a administração do HE.

A partir de agora, funcionários do Hospital passam a ser contratados exclusivamente por concurso. E os contratos de aluguel e de compra de materiais passam a ocorrer exclusivamente por licitação pública.

Até aqui, funcionários eram contratados sem concurso e os contratos eram feitos diretamente com fornecedores (sem licitação), fato que abria margem para injunções político-partidárias nas contratações de pessoal e para questionáveis contratos de locação e de aquisições de materiais.

Ao por fim à terceirização, a UFPel volta a ter controle total sobre a administração do Hospital, que permanecerá 100$ SUS e público.

Em 2012, final da gestão do reitor Cesar Borges, o Conselho Universitário aderiu ao modelo de gestão do HE pela estatal Ebserh (empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), que substituiria a FAU no processo.

Em 2013, o reitor seguinte, Mauro Del Pino, assinou a adesão, mas não a concretizou.

Coube a Hallal, agora em 2019, após dois anos de trabalho, realizá-la.

A partir de 14 de fevereiro próximo, o HE passa a ser gerido 100% pela UFPel/Ebserh.

Cerca de 300 funcionários terceirizados do HE receberam aviso prévio ontem.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.