Connect with us

Pelotas e RS

A serviço de quem estão os vereadores que não querem a CPI?

Publicado

on

Jornalista Pablo Rodrigues, em sua coluna no Diário Popular desta segunda-feira (18), critica a hesitação da Câmara de Vereadores em relação ao requerimento de uma CPI para investigar possíveis fraudes na gestão pela prefeitura da concessão de lotes e unidades do Programa Minha Casa Minha Vida.

As fraudes teriam ocorrido na gestão do ex-prefeito Eduardo Leite, do PSDB, candidato ao governo do estado na eleição de outubro.

O caso veio à tona há duas semanas, quando a Polícia Federal, na Operação Dominus, recolheu computadores e documentos nos gabinetes e residências dos vereadores Waldomiro Lima, do PRB, e Ademar Ornel, do DEM.

A PF também deteve Waldomiro por porte de arma de fogo sem registro, um calibre 38 clandestino. Ele alegou que era herança do pai, pagou fiança e saiu livre.

A pasta em que teriam ocorrido as fraudes – a Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária – era dirigida por Ivan Vaz, apadrinhado de Waldomiro. E foi criada especialmente por Leite.

Nem Waldomiro nem Ivan possuem qualificação para gerir a pasta. Mesmo assim, o ex-prefeito aceitou a indicação e empossou Ivan.

Publicidade

 A estratégia do PSDB para adiar a CPI


A serviço de quem?

Com o título “A serviço de quem?”,  a coluna de Pablo questiona os vereadores que ainda não assinaram o requerimento da CPI, apresentado por Ivan Duarte, do PT.

Dos 21 vereadores, até agora só cinco assinaram o requerimento, quatro da oposição e um da situação.

Acordo de cocheira

Na semana passada, Marcola fechou um acordo pessoal com o líder do governo, vereador Fabrício Tavares (PSD), para adiar a CPI para depois das eleição de outubro, sob a alegação de que poderia ser usada para “prejudicar a campanha eleitoral de Leite ao Piratini”. Não se sabe ainda se o acordo será aceito pelos indecisos.

Escreveu Pablo, em sua coluna desta segunda:

“Fabrício está em seu papel. Busca costurar um acordo que proteja Eduardo Leite, pré-candidato ao governo do estado, do desgaste de uma CPI. O que não se consegue entender é a postura de Marcola. Por que concordar com isso em vez de buscar as assinaturas necessárias?

Há algum tempo já escrevi que Marcola havia tucanado por votar a favor do governo. De novo, tucanou.

Concordar com a instauração de uma CPI depois de outubro é concordar com a intenção da base do governo de proteger o ex-prefeito Eduardo Leite de qualquer mínimo arranhão.

Publicidade

Realmente, não é nada interessante para um candidato entrar em uma disputa dura como a pelo governo do estado respondendo sobre supostas irregularidades na administração de seu município de origem.

Para Eduardo, a CPI seria ainda mais desgastante sobretudo por colocar em dúvida a imagem e o discurso de gestor cuidadoso e exigente.

Se as suspeitas da Polícia Federal não forem suficientes para que os vereadores instaurem uma CPI na Câmara, o que será?

A serviço de quem os vereadores estão: do povo ou do governo?”

Publicidade
1 Comment

1 Comment

  1. roberto carlos

    18/06/18 at 12:09

    Pega os 21 vereadores da atual Câmara e manda que procurem emprego de DOIS salários mínimos na iniciativa privada. NENHUM conseguirá…

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor.

Especial

UCPel transfere temporariamente atendimentos do Campus Saúde

Publicado

on

Os pacientes dos ambulatórios de Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia do Campus Saúde da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) estão sendo atendidos em um novo endereço. Já está funcionando o Centro Acadêmico de Saúde (CAS), localizado na rua General Telles, n°868. A mudança, que deve durar cerca de um ano e meio, foi motivada pelas obras de ampliação do Campus Saúde, localizado no bairro Três Vendas.

O novo local ligado aos serviços de saúde prestados pela UCPel foi locado e está em funcionamento desde a segunda semana de janeiro. O prédio, que já foi um hotel, passou por uma reestruturação para receber os pacientes e também para garantir o exercício da prática acadêmica.

O Escritório Modelo de Engenharia e Arquitetura da Católica (EMEA/UCPel), foi o responsável pelas mudanças, entre elas, o deslocamento de mobiliário e equipamentos do Campus Saúde para o CAS. “No antigo ambiente de um restaurante foram criadas com divisórias as salas de professores, de espera, de estudos e lounge para alunos e docentes. Também estamos instalando ventiladores e condicionadores de ar, além de bebedouros”, relata a gerente de Infraestrutura e do EMEA, Débora Bourscheid. O prédio possui quatro andares, mas o CAS está ocupando apenas os três primeiros.

Estrutura

Segundo a gerente administrativa do curso de Medicina da UCPel, Daiane Dias, o Centro Acadêmico de Saúde possui:

– 30 consultórios;

Publicidade

– 6 salas de estudos;

– 2 postos de enfermagem;

– 1 sala de professores;

– 1 sala de microscópios; e, 

– 1 lounge para alunos e professores.

Além das áreas específicas para atendimento, a estrutura ainda é composta por sala de triagem, recepção, sala de espera central no andar térreo, espaços de espera nos demais andares, além de copa, vestiários e sanitários em todos os consultórios e salas de estudo. 

Orientações à população

Publicidade

Assim como a equipe de funcionários, docentes e professores que atuavam no Campus Saúde, foi mantida, os horários de atendimento à população também são os mesmos – das 7h às 17h, de segunda à sexta-feira. O responsável pela gestão do Ambulatório do Campus da Saúde, Brenno Victoria, explica que a população atendida pelas especialidades atingidas pela mudança será encaminhada pela Secretaria Municipal de Saúde ao novo endereço e os retornos serão agendados pelo setor administrativo do CAS. Quem tiver dúvidas pode ligar para (53)21288500, ramais 3080 e 3081.

Continue Reading

Especial

Covid / Prefeitura diz: “Caso necessário, reativaremos leitos em hospitais”

Publicado

on

Consultada pelo Amigos, a prefeitura respondeu:

A Secretaria de Saúde mantém contato com os hospitais para que, caso seja necessário, possa reativar leitos clínicos e de UTI, mas essa reabertura não é tão rápida, pois envolve uma série de fatores, como a disposição de espaço e de equipes médicas de retaguarda, que precisam ser exclusivas para atender pacientes Covid e também de financiamento federal. Caso isso aconteça, será divulgado.

Continue Reading

Pandemia

Pelotas tem recorde de infectados: 1314 em 24 horas. Todos os leitos estão ocupados

Publicado

on

Pelotas registrou nesta quarta-feira (26) o maior número de infectados pela covid em 24 horas, desde o começo da pandemia: 1314.

A ocupação dos 16 leitos de UTI está em 100%.

Já a ocupação de leitos de enfermaria está, segundo o painel covid da prefeitura, disponível na internet, em 105,2%.

8.560 pessoas estão isoladas em casa.

Consultada pelo Amigos, a Prefeitura diz:

A Secretaria de Saúde pelotense mantém contato com os hospitais para que, caso seja necessário, possa reativar leitos clínicos e de UTI, mas essa reabertura não é tão rápida, pois envolve uma série de fatores, como a disposição de espaço e de equipes médicas de retaguarda, que precisam ser exclusivas para atender pacientes Covid e também de financiamento federal. Caso isso aconteça, será divulgado.

Publicidade
Comitê UFPel alerta para necessidade de medidas extras para enfrentar covid em Pelotas

Continue Reading



Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em alta